Em terceiro corte do ano, Capes tem retirada de 5.613 bolsas

Ao todo, 11.811 auxílios para pesquisas financiadas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior foram extintas

Foto: Freepik

Nenhum novo pesquisador será financiado neste ano. Isto, porque, nesta segunda, 2, foi anunciado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) o terceiro anúncio de retirada de bolsas pelo governo Bolsonaro (PSL), que em números significa o corte de 5.613 auxílios para mestrado e doutorado.

Ao todo, 11.811 bolsas de pesquisa financiadas pela Capes foram extintas neste ano. São cerca de 10%, se comparado a janeiro, ou R$ 37,8 milhões a menos de investimento em pesquisa no ano.

Apesar disso, o governo afirma que o pagamento dos bolsistas com pesquisas em andamento continua e que os cancelamentos se referem a bolsas em aberto. Estes seriam benefícios de estudiosos que terminaram seus trabalhos e que seriam repassados a novos pesquisadores.

Segundo informado pela Folha, a Capes teve, em 2019, 19% do valor autorizado para seu orçamento contingenciado: R$ 819 milhões. Em 2020 a previsão é de que o valor da coordenação reduza em quase metade. De R$ 4,25 bi (previstos originalmente para este ano) para R$ 2,20 bi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.