Em seis meses de via crucis partidária, Mendanha tentou compor com 6 siglas

Somando conversas com diversos partidos, Gustavo Mendanha está em uma trajetória de apoio por aliança política desde desfiliação do MDB (DC, Patriota, Podemos, PL, PSD, PSDB, PP)

Com seis meses de indefinição partidária e na busca por ocupar a cadeira de chefe de Estado, Gustavo Mendanha possui uma lista extensa de partidos em que buscou uma aproximação durante todo esse tempo. Foi somente a dois dias do prazo final para filiação partidária que o político anunciou a integração ao Patriota. Sem tempo de TV e sem direito ao fundo eleitoral, o partido escolhido foi revelado por Mendanha nesta quarta-feira, 30.

PL

No entanto, antes de se decidir pelo Patriota, Gustavo chegou a se reunir com o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), na tentativa de solicitar apoio para se filiar à sigla do chefe do Executivo. A benção de Bolsonaro à disputa pelo governo de Goiás, contudo, foi para o deputado federal Major Vitor Hugo. Até mesmo o apoio de Flávio Canedo, presidente estadual da sigla, e da deputada federal Magda Moffato não foram o bastante para filiação do político ao partido.

Isso, porque depois de reunião em Brasília, nesta quinta-feira, 28, ambos os políticos explicaram terem sido “votos vencidos”, de modo que, a partir de agora, devem apoiar a pré-candidatura de Vitor Hugo. 

Patriota

Mesmo com a divulgação da recém filiação, o político ainda enfrenta um embate interno na sigla: há uma frente caiadista no Patriota. Tanto o prefeito de Trindade, Marden Júnior, quanto o ex-prefeito, Jânio Darrot, ambos do partido, declararam apoio à reeleição de Ronaldo Caiado.

Essas lideranças ainda se somam ao atual presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Romário Policarpo, filiado ao Patriota, que apesar de não ter decidido qual candidato apoiar, admitiu ao Jornal Opção que tende apoiar Caiado, devido a sua proximidade com o governador. Ao Jornal Opção, no entanto, mesmo em meio à divergência de alianças, o presidente estadual da sigla, Jorcelino Braga, já havia confirmado estar disposto a apoiar a candidatura do prefeito de Aparecida.

Nesta quinta-feira, 31, Gustavo Mendanha deve entregar a gestão da Prefeitura de Aparecida durante sessão solene. Quem assumirá o município é o vice-prefeito, Vilmar Mariano. Nesta terça-feira, 29, Vilmar pediu desfiliação do Podemos, após o partido anunciar candidatura a Caiado. Presidindo o partido desde janeiro deste anos, o político solicitou o desligamento da sigla após confirmação de distanciamento do Podemos de Gustavo Mendanha, como antecipou também o Jornal Opção.

Atualmente, Gustavo segue sendo o terceiro nome mais forte em diversas pesquisas de intenção de Voto, ficando atrás apenas do atual governador, Ronaldo Caiado (UB), e de Marconi Perillo (PSDB) – que ainda tende a pleitear uma vaga no Senado Federal. Entretanto, mesmo sendo um nome em destaque na corrida para o Palácio das Esmeraldas e o de maior oposição a Caiado, a formação de alianças políticas e uma base enfraquecida perseguiram Mendanha ao longo do tempo que buscou um partido até chegar ao Patriotas

Em setembro de 2021, o político havia anunciado, durante live em redes sociais, que estaria deixando o MDB. Desde aquela época, questionamentos de qual seria o novo partido do prefeito de Aparecida de Goiânia passaram a circular. A partir deste ano, no entanto, rumores quanto a possível neutralidade de Mendanha sobre a corrida presidencial de 2022 começaram a surgir, mas uma tentativa de articulação com o Podemos botou isso em prova.

Isso, porque a legenda já havia anunciado que só iria apoiar a candidatura de quem apoiasse o presidenciável do partido, o ex-ministro e ex-juiz Sérgio Moro. Mesmo em meio a essa alternativa, o medo de não emplacar com eleitores bolsonaristas fez com que a filiação ao partido de Moro fosse descartada.  

PT e PSB

No começo deste ano, até mesmo uma aproximação de Mendanha com o PT havia sido levantada, ao considerar a possibilidade de uma federação entre o PT, PV, PSB e PCdoB. Porém, na época, a presidente do partido em Goiás, Kátia Maria, declarou ao Jornal Opção que falado que uma aliança como essa só vingaria caso Mendanha declarasse apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O prefeito de Aparecida, no entanto, acabou tendo conversas e se aproximando significativamente do PSB, de modo a também criar rumores de possível filiação.

PP

Rumores de possível aproximação de Gustavo com membros do partido Progressista também surgiram em março, mas o deputado federal Adriano do Baldy negou qualquer tipo de conversa política ou convite do PP ao prefeito de Aparecida. A justificativa dos progressistas é que o principal projeto do partido é a candidatura do ex-ministro Alexandre Baldy ao Senado e o apoio à reeleição do governador de Goiás, Ronaldo Caiado. Em contrapartida, Mendanha estaria apoiando o deputado federal João Campos (Republicanos) para o Senado.

PSD

Na tentativa de filiação ao PSD, Gustavo Mendanha também encontrou forte divisão. Grande parte da sigla, vinculada ao presidente Vilmar Rocha, quer seguir com um projeto aliado ao governador Caiado, que busca a reeleição; enquanto um outro grupo, próximo do senador Vanderlan Cardoso (PSD), segundo apuração de bastidores, aposta na filiação de Mendanha para o lançamento de uma candidatura de oposição.

PSDB

Em mais uma encruzilhada política, Mendanha estaria tentando caminhar com o PSDB, de Marconi Perillo. O ex-peemedebista se aproximou do arquirrival da legenda em Goiás após perder espaço para Vítor Hugo no PL. Entretanto, para que o prefeito se filiasse a sigla, Perillo precisaria aceitar esse ingresso. Nessa aproximação, a própria presidente do PSDB goianiense, Aava Santiago, chegou a confirmar ao Jornal Opção sobre as conversas entre Mendanha e Marconi. Segundo ela, os dois políticos têm muito em comum.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.