Em sabatina na Fieg, candidatos ao governo apresentam propostas e iniciam embate eleitoral

Daniel Vilela, Ronaldo Caiado e José Eliton discursaram sobre os principais temas e responderam questionamentos da federação

Fotos: Reprodução

Matheus Monteiro e Mayara Carvalho

Os três candidatos mais bem colocados nas últimas pesquisas ao governo do Estado de Goiás participaram de sabatina promovida pela Federação das Indústrias de Goiás (Fieg), nesta segunda-feira (13/8). Daniel Vilela (MDB), Ronaldo Caiado (DEM) e José Eliton (PSDB) discursaram sobre os principais temas, como Saúde, Educação e Segurança, responderam questionamentos e aproveitaram a oportunidade para atacar os adversários – e se defenderem.

Primeiro a discursar, Daniel Vilela destacou entre suas propostas de governo que irá continuar trabalhando pelas políticas de incentivos fiscais. Ele ainda apresentou ainda os sete eixos do seu plano de governo e defendeu a volta da Secretaria de Indústria e Comércio no Estado.

Em seguida, Caiado fugiu de temas econômicos e admitiu desconhecimento acerca de propostas para o desenvolvimento industrial. “Por que a Fieg não apresenta um projeto?”, sugeriu.

Por fim, o governador José Eliton destacou os avanços econômicos do Estado e afirmou que “não se governa mandando, se governa ouvindo”.

Confira os principais temas discutidos por cada governadoriável e o embate entre os candidatos:

Saúde

Daniel Vilela defendeu a manutenção das Organizações Sociais (OS), caso seja eleito. Ele apresentou também a proposta de digitalização da área para que o paciente possa escolher hospitais, médico e horário de consulta por meio do celular.” Integração entre a rede pública e rede privada”, anunciou.

Caiado afirmou que a “regionalização da Saúde é obrigatória em Goiás”. “Não tem como o cidadão acidentado grave vir para cá, para a capital. Um cidadão que precisa fazer hemodiálise, por exemplo, tem que vir de longe. Isso precisa acabar”, declarou.

Atual governador, Eliton garantiu que o Estado ampliará o apoio aos municípios para oferecer ajuda na manutenção da rede de Saúde básica.

Segundo ele, esta parceria vai melhorar o equilíbrio da rede pública, porque os hospitais do Estado – e o atendimento de média e alta complexidade, como um todo – já estão bons.

Segurança

Para a área da Segurança, Caiado defendeu o reforço do serviço de inteligência para as forças policiais e a reestruturação penitenciária. “Precisamos de penitenciárias com altíssimo rigor”, afirmou.

Daniel, por sua vez, afirmou que pretende focar no investimento maciço em inteligência para que as forças policiais possam se antecipar às ações dos criminosos.

Último a discursar, José Eliton criticou adversários que prometem combater a violência com “uma varinha de condão”. “É um problema complexo demais para ser combatido jogando para plateia”, alfinetou.

De acordo com o tucano, o governo promove investimentos anuais de R$ 3 bilhões na Segurança e que o Estado registrou redução em 11 dos 12 indicadores nos últimos 8 meses.

Educação

Na área de Educação, Vilela citou investimento na qualificação dos profissionais, com valorização da formação. “Universalizar o tempo integral é impossível, é demagógico prometer isso. Nosso objetivo é de construir uma rede de serviços oferecendo cursos no contra tempo, tornando o aluno em tempo integral, e não a escola”, acrescentou.

Segundo ele, muitos candidatos ganharam as eleições prometendo a universalização da escola Tempo Integral, mas que atual situação fiscal do Estado não permite que seja realizada, e segundo ele, a proposta é demagógica.

O senador e candidato a governador Ronaldo Caiado (DEM), em seu discurso, jogou para plateia o tema, afirmando que pretende ampliar as parcerias com o sistema S (Sesi, Sinai, Senar), vinculado à entidade. 

Rodovias

O governador José Eliton (PSDB) afirmou nesta segunda-feira, em sabatina na Federação das Indústrias de Goiás (Fieg), que se for reeleito vai avançar no processo de concessão de rodovias estaduais para exploração na iniciativa privada. “Entendemos que é o modelo adequado para manutenção das estradas”, afirmou.

“Eu não tenho nenhuma dificuldade em dizer que não sou contra a privatização. Depende da área, do momento, de quem vai ser o detentor desses serviços. As rodovias é um debate capenga no estado porque as rodovias não alcançam um fluxo atraente para as empresas”, disse Daniel.

Questionado sobre a privatização de rodovias goianas durante encontro promovido pela Fieg, o senador Ronaldo Caiado, candidato do DEM ao governo de Goiás, afirmou que tem a intenção de adotar Parceria Público Privada para melhorar as estradas.

Incentivos fiscais e indústria

O deputado federal pelo MDB destacou entre suas propostas de governo que irá continuar trabalhando pelas políticas de incentivos fiscais. Ele defendeu ainda a volta da Secretaria de Indústria e Comércio no Estado e foi bastante aplaudido. “Era uma pasta muito importante e que merece atenção”, disse.

Caiado, no entanto, admitiu ainda que não “tem compreensão dos problemas do dia a dia” para ajudar no desenvolvimento industrial.

Segundo o senador, os métodos de incentivo industrial em Goiás são ultrapassados, mas não apresentou nenhuma alternativa ao modelo atual. Ele ainda questionou a Fieg por não apresentar nenhuma solução. “Por que a Fieg não apresenta um projeto?”, falou.

Ao falar sobre os incentivos fiscais, o governador José Eliton afirma que é preciso “trabalhar com lealdade as informações corretas”. “Aventuras e soluções mágicas via de regra dão errado”, em referência a promessas feitas por seus adversários. De acordo com ele, tudo que for prometido além de disposição para dialogar, neste momento, é promessa vazia.

Saneago

Caiado afirmou que pretende instalar uma política para a Saneago ser capaz de deixar o lado político de lado e se ocupar do caráter técnico. “Ela voltando ao seu viés normal para o qual foi criada isso vai se normalizar”, declarou sobre a crise hídrica.

Eliton afirmou que não pretende privatizar a Saneago, já que possibilidade da privatização foi considerada por Daniel Vilela. “Alguns candidatos vacilam quando tratam deste assunto, eu não. Meu compromisso é manter a Saneago pública”, afirmou o governador.

Ele lembrou que o atual governo passou os últimos meses adaptando a Saneago à lei de licitações e, segundo ele, empresa “conseguiu alcançar 58% de cobertura no que tange a rede de esgoto”.

Fake news

Caiado disse que 70% das escolas estaduais não têm esgoto. Mais cedo, em entrevista à Rádio Interativa, disse que que “99% dos atendimentos na saúde de Goiás são de pacientes que vêm do interior”.

Na sabatina, Eliton aproveitou para lembrar que o empresariado deve esperar dele uma postura de alto nível, e nunca xingamentos, bravatas e fake news. “Estejam certos da minha serenidade. Todos reconhecem a transformação do Estado nos últimos anos, por isso pretendo dar um novo passo com segurança”, disse o governador.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.