Em reunião com Michel Temer, Marconi discute dívidas dos estados

Antes de encontro com presidente, Marconi e outros 22 governadores discutiram entre si medidas de ajuste fiscal e contenção de gastos e despesas

Governadores e Temer durante reunião | Divulgação

Governadores e Temer durante reunião | Divulgação

Nesta terça-feira (22/11), o governador Marconi Perillo (PSDB) e outros 22 chefes do Executivo estaduais passaram o dia em reuniões que discutiam as crises dos estados. A primeira reunião ocorreu às 10 horas na residência oficial do governador do Distrito Federal. De lá, todos foram para o Palácio do Planalto para um encontro de mais de duas horas com o presidente Michel Temer (PMDB) e equipe econômica.

“As duas reuniões foram muito boas. Primeiro, na parte da manhã ficamos discutindo várias medidas de ajuste fiscal, contenção de gastos e despesas, reforma da previdência e assuntos que vão garantir uma melhor reestruturação dos gastos do estado”, comentou Marconi.

Ao final da reunião com o presidente Temer, o governador de Goiás declarou que os estados não podem ficar presos apenas aos problemas conjunturais. De acordo com ele é necessária a preocupação com medidas estruturantes, de longo prazo, que vão perpassar os atuais governos garantindo sustentabilidade financeira aos próximos governadores para poderem pagar os benefícios de aposentadoria, os salários em dia, as despesas correntes e, principalmente, terem garantia de recursos para investimentos.

Marconi avaliou como positivo o encontro com o presidente. “O presidente Temer, como sempre, nos recebeu muito bem. Foi generoso ao ouvir a todos. Eu fiz a exposição das medidas que nós gostaríamos que fossem adotadas no âmbito dos estados e da federação. E ao final chegamos a um acordo em relação a um texto que será assinado por todos os governadores. Também conseguimos com o presidente Temer a liberação das parcelas das multas das repatriações para os estados e municípios”.

Governadores e presidente chegaram a acordo | Foto: Beto Barata

Governadores e presidente chegaram a acordo | Foto: Beto Barata

O governador informou também que na reunião com o presidente da República foi criado um Fórum Permanente de Governadores. Ele ficará responsável pela definição de uma comissão, com um governador representando cada região, que irá dialogar permanentemente com a equipe econômica do governo para que todas as medidas que forem adotadas em nível federal também possam ter repercussão nos estados.

Participaram da reunião com o presidente Temer os governadores Camilo Santana (PT – CE), Confúcio Moura (PMDB – RO), Fernando Pimentel (PT – MG), Flávio Dino (PCdoB – MA), Geraldo Alckmin (PSDB – SP), Jackson Barreto (PMDB – SE), João Raimundo Colombo (PSD – SC), José Melo de Oliveira (PROS – AM), Luiz Fernando Pezão (PMDB – RJ), Marcelo Miranda (PMDB – TO), Paulo Câmara (PSB – PE), Pedro Taques (PSDB – MT), Reinaldo Azambuja (PSDB – MS), Ricardo Coutinho (PSB – PB), Rui Costa (PT – BA), Simão Jatene (PSDB – PA), Suely Campos (PP – RR), Tião Viana (PT – AC), Waldez Góes (PDT – AP), José Ivo Sartori (PMDB – RS), Wellington Dias (PT – PI) e Rodrigo Rollemberg (PSB – DF).

Os ministros Henrique Meirelles (Fazenda) e Dyogo de Oliveira (Planejamento), a secretária do Tesouro, Ana Paula Vescovi, e o secretário-executivo da Fazenda, Eduardo Guardia, também estiveram na reunião, assim como os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB – AL), e da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM- RJ).

A equipe econômica do governo federal está elaborando um documento com as demandas dos governadores para ser analisada pelo governo federal. Dentre elas, como adiantou Marconi, está a securitização da dívida ativa, a liberação de uma fatia maior da multa dos recursos da repatriação e mudanças nos parâmetros da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Sobre a securitização, na reunião foi solicitada aos presidentes do Senado e da Câmara, maior celeridade na votação do projeto no Congresso Nacional. O ministro Henrique Meirelles deverá conversar com todos os secretários de Fazenda na próxima sexta-feira (25) ou segunda (28) para voltar a tratar da crise financeira. A secretária da Fazenda, Ana Carla Abrão Costa, acompanhou o governador na agenda desta terça-feira (22) em Brasília. (Com informações do Gabinete de Imprensa do Governador de Goiás)

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.