Em relato chocante, figurinista denuncia ator José Mayer por assédio sexual

Em um blog da “Folha”, profissional faz revelações repugnantes sobre artista. “Sim, ele colocou a mão na minha b***** e ainda disse que esse era seu desejo antigo”

Reprodução

Um relato envolvendo uma denúncia de assédio sexual contra o ator da TV Globo José Mayer pegou de surpresa as redes sociais na manhã desta sexta-feira (31/3). Publicado no blog “Agora é que são elas”, do jornal “Folha de São Paulo”, o desabafo de uma figurinista da emissora chama a atenção pelo teor chocante.

Na publicação, que foi retirada do ar horas após ser postada, a figurinista conta que chegou no Rio de Janeiro há 5 anos, buscando realizar os sonhos profissionais e, há 8 meses, encontrou nele um algoz.

“Trabalhando de segunda à sábado, lidar com José Mayer era rotineiro. E com ele vinham seus ‘elogios’. Do ‘como você se veste bem’, logo eu estava ouvindo: ‘como a sua cintura é fina’, ‘fico olhando a sua bundinha e imaginando seu peitinho’, ‘você nunca vai dar para mim?’”, conta.

“Uma vez lhe disse: ‘você é mais velho que o meu pai. Você tem uma filha da minha idade. Você gostaria que alguém tratasse assim a sua filha?’” Ainda assim, conforme o relato, ele não se deteve. Em fevereiro deste ano, Susllem conta que o assédio chegou ao ponto do contato físico, quando José Mayer tocou sua genitália.

“Sim, ele colocou a mão na minha b***** e ainda disse que esse era seu desejo antigo. (…) Senti desespero, nojo, arrependimento de estar ali. Não havia cumplicidade, sororidade”, conta.

Após o episódio, ela relata que achava que o ator havia chegado ao seu limite. Entretanto, a figurinista garante que Mayer tentou novamente tocar sua vagina, em um set de filmagem com outras 30 pessoas. Diante da negativa, ele a teria a chamado de “vaca”.

Mesmo tendo procurado todas as instâncias, inclusive o setor de RH da TV Globo, Susllem diz acreditar que a situação não será resolvida. “Sinto no peito uma culpa imensa por não ter tomado medidas sérias e árduas antes, sinto um arrependimento violento por ter me calado, me odeio por todas às vezes em que, constrangida, lidei com o assédio com um sorriso amarelo.”

Como já foi dito, a publicação com o relato da figurinista foi apagado pelo blog da “Folha”, mas internautas ainda repercutem o texto nas redes. O nome de José Mayer já é um dos mais comentados entre os usuários na manhã desta sexta. Confira abaixo o relato na íntegra:

José Mayer me assediou

Por Su Tonani*

Eu, Susllem Meneguzzi Tonani, fui assediada por José Mayer Drumond. Tenho 28 anos, sou uma mulher branca, bonita, alta. Há cinco anos vim morar no Rio de Janeiro, em busca do meu sonho: ser figurinista.

Qual mulher nunca levou uma cantada? Qual mulher nunca foi oprimida a rotular a violência do assédio como “brincadeira”? A primeira “brincadeira” de José Mayer Drumond comigo foi há 8 meses. Ele era protagonista da primeira novela em que eu trabalhava como figurinista assistente. E essa história de violência se iniciou com o simples: “como você é bonita”. Trabalhando de segunda à sábado, lidar com José Mayer era rotineiro. E com ele vinham seus “elogios”. Do “como você se veste bem”, logo eu estava ouvindo: “como a sua cintura é fina”, “fico olhando a sua bundinha e imaginando seu peitinho”, “você nunca vai dar para mim?”.

Quantas vezes tivemos e teremos que nos sentir despidas pelo olhar de um homem, e ainda assim – ou por isso mesmo – sentir medo de gritar e parecer loucas? Quantas vezes teremos que ouvir, inclusive de outras mulheres: “ai que exagero! Foi só uma piada”. Quantas vezes vamos deixar passar, constrangidas e enojadas, essas ações machistas, elitistas, sexistas e maldosas?

Foram meses envergonhada, sem graça, de sorrisos encabulados. Disse a ele, com palavras exatas e claras, que não queria, que ele não podia me tocar, que se ele me encostasse a mão eu iria ao RH. Foram meses saindo de perto. Uma vez lhe disse: “você é mais velho que o meu pai. Você tem uma filha da minha idade. Você gostaria que alguém tratasse assim a sua filha?”

A opressão é aquela que nos engana e naturaliza o absurdo. Transforma tudo em aceitável, em tolerável, em normal. A vaidade é aquela que faz o outro crer na falta de limite, no estrelato, no poder e na impunidade. Quantas vezes teremos que pedir para não sermos sexualizadas em nosso local de trabalho? Até quando teremos que ir às ruas, ao departamento de RH ou à ouvidoria pedir respeito?

Em fevereiro de 2017, dentro do camarim da empresa, na presença de outras duas mulheres, esse ator, branco, rico, de 67 anos, que fez fama como garanhão, colocou a mão esquerda na minha genitália. Sim, ele colocou a mão na minha buceta e ainda disse que esse era seu desejo antigo. Elas? Elas, que poderiam estar eu meu lugar, não ficaram constrangidas. Chegaram até a rir de sua “piada”. Eu? Eu me vi só, desprotegida, encurralada, ridicularizada, inferiorizada, invisível. Senti desespero, nojo, arrependimento de estar ali. Não havia cumplicidade, sororidade.

Mas segui na engrenagem, no mecanismo subserviente.

Nos próximos dias, fui trabalhar rezando para não encontra-lo. Tentando driblar sua presença para poder seguir. O trabalho dos meus sonhos tinha virado um pesadelo. E para me segurar eu imaginava que, depois da mão na buceta, nada de pior poderia acontecer. Aquilo já era de longe a coisa mais distante da sanidade que eu tinha vivido.

Até que nos vimos, ele e eu, num set de filmagem com 30 pessoas. Ele no centro, sob os refletores, no cenário, câmeras apontadas para si, prestes a dizer seu texto de protagonista. Neste momento, sem medo, ameaçou me tocar novamente se eu continuasse a não falar com ele. E eu não silenciei.

“VACA”, ele gritou. Para quem quisesse ouvir. Não teve medo. E por que teria, mesmo?

Chega. Acusei o santo, o milagre e a igreja. Procurei quem me colocou ali. Fui ao RH. Liguei para a ouvidoria. Fui ao departamento que cuida dos atores. Acessei todas as pessoas, todas as instâncias, contei sobre o assédio moral e sexual que há meses eu vinha sofrendo. Contei que tudo escalou e eu não conseguia encontrar mais motivos, forças para estar ali. A empresa reconheceu a gravidade do acontecimento e prometeu tomar as medidas necessárias. Me pergunto: quais serão as medidas? Que lei fará justiça e irá reger a punição? Que me protegerá e como?

Sinto no peito uma culpa imensa por não ter tomado medidas sérias e árduas antes, sinto um arrependimento violento por ter me calado, me odeio por todas às vezes em que, constrangida, lidei com o assédio com um sorriso amarelo. E, principalmente, me sinto oprimida por não ter gritado só porque estava em meu local de trabalho. Dá medo, sabia? Porque a gente acha que o ator renomado, 30 e tantos papéis, garanhão da ficção com contrato assinado, vai seguir impassível, porque assim lhe permitem, produto de ouro, prata da casa. E eu, engrenagem, mulher, paga por obra, sou quem leva a fama de oportunista. E se acharem que eu dei mole? Será que vão me contratar outra vez?

Tenho de repetir o mantra: a culpa não foi minha. A culpa nunca é da vítiva. E me sentiria eternamente culpada se não falasse. Precisamos falar. Precisamos mudar a engrenagem.
Não quero mais ser encurralada, não quero mais me sentir inferior, não quero me sentir mais bicho e muito menos uma “vaca”. Não quero ser invisível se não estiver atendendo aos desejos de um homem.

Falo em meu nome e acuso o nome dele para que fique claro, que não haja dúvidas. Para que não seja mais fofoca. Que entendam que é abusivo, é antigo, não é brincadeira, é coronelismo, é machismo, é errado. É crime. Entendam que não irei me calar e me afastar por medo. Digo isso a ele e a todos e todas que, como ele, homem ou mulher, pensem diferente. Que entendam que não passarão. E o que o meu assédio não vai ser embrulho de peixe. Vai é embrulhar o estômago de todos vocês por muito, muito tempo.

* Su Tonani é figurista

29 respostas para “Em relato chocante, figurinista denuncia ator José Mayer por assédio sexual”

  1. Avatar Marcia disse:

    Ele agiu conforme o seu papel na novela, achando q tds as mulheres são vagabundas e as tratando como vaca. Achando q tds são a Magnólia…

  2. Avatar silvia disse:

    Essa gente… esta emissora, e uma boa parte dos seus prestadores de serviços, manipulam a vida real, da maioria da população brasileira, infelizmente, reproduzindo: machismo, racismo, discriminação de classe e tantos outros preconceitos políticos ideológicos. O povo brasileiro tem vários inimigos e o de maior potencial é o sistema midiático dessa emissor, que acolhe canalhas como este cara asqueroso, de embrulhar o estomago! Vomitando muitooo aqui…

  3. Avatar Maria de Lourdes da Silva disse:

    NÃO ACREDITO UMA PESSOA COM SANGUE NOS OLHOS JÁ ABRE A BOCA, AGORA VIROU MODA, SE ELA TROUXER AS PESSOAS E PROVAR AI EU ACREDITO, POIS NO MUNDO DE HOJE TEMOS QUE FALAR URGENTE, AINDA ELA FALA PALAVRAS CHULAS EU JAMAIS FALARIA ESSAS PALAVRAS!
    QUE ELA PROVE E APAREÇA AS PESSOAS QUE ESTAVAM PRESENTE!!!!

  4. Avatar Tenaz disse:

    90% das mulheres fazem apologia de novelas. Fazem apologia dessa poca vergonha nacional, que faz do país ser considerado o pais da Sac# no mundo.

  5. Avatar Elisa disse:

    Que nojo desse homem agindo como homem das cavernas NOJOOO

  6. Avatar Viviane disse:

    Perfeito. Tem que denunciar mesmo, está errado. Cara sem vergonha na cara, nojento.

  7. Avatar Homem disse:

    Sou homem!
    Sinto vergonha de homens que tem essas atitudes!
    Su, perdoe essa pessoa rudes e pobre de espírito, isso não significa que não deve perseguir a JUSTIÇA!

  8. Avatar Paulo Alberto Monteiro de Barros disse:

    Espero que essa denúncia seja levada a sério e investigada pelos órgãos competentes. Dessa emissora não é possível esperar nada. Depois da leitura desse texto, pesquisei “assédio na Globo” na internet e encontrei diversos relatos, inclusive vídeos postados por possíveis vítimas. É assustador saber que isso ocorre, sem consequência alguma, numa das maiores empresas do Brasil. Que seja feita JUSTIÇA, é o que todos esperam.

  9. Avatar Elizabeth Schau disse:

    Fico refletindo sobre EM QUE MOMENTO da nossa civilização a beleza feminina e seu poder de sedução se tornaram motivo de vergonha para ela a ponto de ficarmos “sem graça” diante de assédio? EM QUE MOMENTO os dotes tipicamente femininos que fizeram dela o símbolo da divindade, a Deusa Mãe, por milênios, tomaram outra conotação passando de um motivo de orgulho para um motivo de vergonha diante da sociedade quando oprimidas pelo homem?
    Acho que sabemos bem que foi com o início do patriarcado e suas derivações maléficas.
    Reagir adequadamente é algo que estamos aprendendo. Esses episódios servem para despertar consciências.

    • Avatar motta filho disse:

      Negativo..Culpar somente o patriarcado de épocas remotas por isso acontecer hoje é não conhecer história e ser leviana. Lembre-se que o mesmo Patriarcado protegia as famílias (homens e mulheres) da barbárie promovida por outras tribos e povos. Hoje percebemos que é também a própria exploração dessa “beleza feminina” e “sedução” pelo sexualismo exacerbado de nossa sociedade moderna (e isso por parte de mulheres e homens) quando se torna vantajoso economicamente para ambos, é que estimula este tipo de comportamento misógino na sociedade. E quantos aos casos de exploração e assédio de profissionais novos homens por mulheres executivas e empresárias em posição superior não ocorrem todos os dias??? Eu mesmo já fui perseguido e depois transferido e posteriormente demitido após uma perseguição implacável de uma “coroa” maluca….Esse seu feminismo de boutique é uma farsa….

  10. Avatar sandra disse:

    É impressionante como as pessoas ouvem somente uma versão da história w ja saem julgando condenando com sentença e tudo, no caso do deputado marco Feliciano foi assim com a versão da jovem o deputado ja foi crucificado e depois a verdade veio a tona, no caso do Vitor fa dupla Vitor r leo foi a mesma, ja condenaram o cara só com uma versão foi até afastado do programa. Eu não estou dizendo q ela está mentindo mas tmb não pozso ja dizer q foi verdade e crucificar o cara.

  11. Avatar Luis disse:

    67(sessenta e sete) anos ??????? Com certeza, a única coisa que ele pode fazer mesmo, com essa idade, realmente é só colocar a mão mesmo. Velho gaga.

  12. Avatar Bella disse:

    Velho safado!! Acostumado a assediar…um dia toma da cara! Isso tem que parar…ele se acha o quê???

  13. Avatar Ana Célia Piorno disse:

    Ela deveria denunciá-lo na delegacia das mulheres! Vá em frente, precisamos acabar com esses abusos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.