Em protesto, Guarda Civil acampam em frente à Prefeitura de Aparecida

Demandas de guardas incluem implementação de data-base, quinquênio e plano de carreira

Os Guardas Civis montaram, nesta segunda-feira, 3, um acampamento em frente à Prefeitura de Aparecida de Goiânia como forma de protesto para reivindicar implementos de verbas salariais, horas extras e plano de carreira. A insatisfação é antiga. A paralisação da categoria havia sido marcada para novembro passado, mas não ocorreu porque a administração garantiu aos servidores que uma reunião seria realizada para tratar do tema.

Como ainda não houve evolução nos diálogos, na visão dos manifestantes, a possibilidade de greve volta a ser cogitada. As demandas dos guardas aparecidenses incluem a implementação de data-base, quinquênio e plano de carreira, além de pagamento de horas extras trabalhadas.

Confira a nota da Prefeitura de Aparecida:

“A Prefeitura de Aparecida, por meio da secretaria da Fazenda, informa que os Guardas Civis Municipais receberão, assim como os demais servidores públicos municipais, o aumento salarial correspondente a data-base dos dois últimos anos já no pagamento de janeiro.

Em maio de 2022, haverá outro aumento da data-base, conforme o IPCA.

Portanto, apenas neste semestre, os servidores públicos municipais terão dois aumentos salariais.

A Lei Federal Complementar 173/2020 proibia o município de conceder qualquer beneficio ao funcionalismo público até 31 de dezembro de 2021, em razão do enfrentamento à pandemia da Covid-19.

Com relação ao quinquênio, o pagamento também era vedado pela lei federal.

Neste ano, voltará a ser pago normalmente. Quanto a hora-extra, a carga horária do Guarda Civil é de 180 horas que são exercidas em regime de plantão.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.