Em novo clipe, banda goiana ironiza Nexus e questiona “progresso” urbano

Com belo vídeo mesclando imagens do grupo, da capital e de pontos turísticos do estado, Carne Doce faz crítica afiada ao discurso de desenvolvimento a qualquer custo

A banda goiana Carne Doce liberou, nesta segunda-feira (8/5), o seu mais novo clipe, dessa vez, da música Sertão Urbano. A música, que critica o discurso do “progresso”, já vale a atenção, mas reserve alguns minutos do seu tempo para assistir ao vídeo. Sintonizado com a realidade de Goiânia (e de outras cidades brasileiras), a produção ilustra a letra na prática, mostrando casos emblemáticos de desrespeito às normas de preservação e expansão da cidade em nome do “desenvolvimento”.

Logo no começo do vídeo, há imagens aéreas de dois deles: Primeiro, do Shopping Passeio das Águas que causou polêmica por ter sido construído próximo ao córrego Caveirinha, em uma área que é considerada de Proteção Permanente (APP) pelo Plano Diretor do município e pela legislação ambiental.

Depois, são mostradas as obras do complexo Nexus, no cruzamento das avenidas D e 85, no Setor Marista, que, como denunciou o Jornal Opção, é suspeito de fraudar estudo de impacto de vizinhança e conseguir alvará de construção mesmo sem o estudo de impacto de trânsito. O empreendimento, que reúne centro empresarial, shopping, apartamentos residenciais e hotel já virou caso de polícia.

Também há imagens do Clube Social Feminino, que atualmente está abandonado e de outras obras inacabadas. Enquanto o urbano vai lentamente tomando o “mato”, a vocalista ironiza: “Aqui no mato/ Vai ocupando o concreto/ Os bichos pastam/ Onde há de haver mais prédios/ Condomínios que prometem/ O prazer do mato dentro da cidade/ Mato dá prazer”.

Além das imagens da capital, o clipe também mostra algumas das belezas naturais do estado, como a Chapada dos Veadeiros. Segundo Salma, a música fala justamente sobre isso: Os contrastes entre rural e urbano e a necessidade da discussão de temas como o desenvolvimento sustentável.

Muito bonita, a produção dirigida por Larry Sullivan mescla, em dupla exposição, imagens da capital e dos integrantes da banda. O destaque, como é costume nas apresentações do Carne Doce, não tem como não ser Salma, que e tem uma presença impressionante e hipnotizante com sua voz peculiar.

A realização do filme é da Dafuq Filmes; roteiro e edição de Larry Sullivan; produção executiva de Cecília Brito; produção de Tothi Cardoso e Guarany Neto; Direção de fotografia de Kaco Olímpio; montagem e edição de Uttara Arpana e Larry Sullivan; e orientação de Márcio Pacú. O clipe foi gravado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.

Assista ao clipe:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.