Juiz Sebastião Fleury considerou os fundamentos apresentados pela PGM de que a qualidade de vida do Robinho só tem aumentado no Zoológico da capital e sustentou decisão anterior

O urso Robinho | Foto: Zoológico de Goiânia

O juiz substituto em 2º grau, Sebastião Fleury, do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás confirmou a decisão dada em 1º grau e manteve o Urso Robinho no Zoológico de Goiânia.

A Procuradoria-Geral do Município alegou que a qualidade de vida do Robinho só tem aumentado no Zoológico de Goiânia, não havendo razões de fato ou de direito aptas a fundamentar a sua transferência. Um novo recinto, inclusive, foi criado para assegurar o bem-estar do urso.

O magistrado considerou as alegações da PGM e não modificou o deliberado anteriormente, reforçando que “as condições apontadas inicialmente na petição recursal não são mais aquelas, pois foram implantadas modificações no Zoológico para acolher o Urso Robinho, que foi transferido para ambiente climatizado, com mais espaço físico e melhores condições”.

Na ação, a Procuradoria-Geral de Justiça também se manifestou pela manutenção da decisão.