Em nota, Ronaldo Caiado e outros 20 governadores dizem que ICMS não é responsável pela alta nos combustíveis

No documento, eles explicam que não houve qualquer alteração no imposto nos últimos 12 meses; no entanto, gasolina subiu cerca de 40% neste período

Governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) | Foto: Reprodução

Ronaldo Caiado (DEM) e outros 19 governadores assinaram carta que contesta a versão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) quanto ao motivo do alto preço da gasolina. Bolsonaro tem atribuído às alíquotas do ICMS cobrados pelos estado como o motivo do preço do combustível ter chegado a R$ 7.

Na nota, os chefes do Executivo estadual afirmam que o ICMS não teve nenhuma alteração nos últimos 12 meses, mas que ainda assim a gasolina subiu cerca de 40%. O documento é mais um capítulo da queda de braço entre o presidente e dos governadores sobre o preço dos combustíveis.

Ao Poder 360, a Secretaria da Economia de Goiás informou que as alíquotas atuais de ICMS que incidem sobre a gasolina, etanol e diesel são de 30%, 25% e 16%, respectivamente. Além disso, a última alteração da alíquota realizada no etanol, em Goiás, foi em 2007, na gasolina, em 2016, e no diesel, em 2018.

Veja a nota assinada pelos chefes dos Executivos estaduais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.