Deputado federal e candidato à presidência do diretório estadual se pronunciou sobre briga na sede do partido

Se perder pessoas do quilate de Daniel Vilela, de Maguito e de outros deputados, isso vai significar fechar a tampa do caixão do PMDB e iris será o coveiro” || Foto: André Costa
Daniel Vilela pede “eleição pacífica e democrática, respeitando as divergências internas”| Foto: André Costa

Em nota divulgada na manhã desta quinta-feira (28/1), o deputado federal e candidato à presidência o PMDB em Goiás, Daniel Vilela, repudiou a violência ocorrida na noite da última quarta-feira na sede do partido, em Goiânia. A briga entre deputado estadual Paulo Cezar Martins e o presidente nacional da Juventude do PMDB, Pablo Rezende teve quebra-quebra e e o segurança que acompanha o deputado chegou a disparar um tiro de arma de fogo.

[relacionadas artigos=”57443,57436″]

Vilela afirmou que “Não aceita e nem compactua com qualquer tipo de violência, verbal ou física, envolvendo filiados do partido” e pediu “uma eleição pacífica e democrática no próximo dia 5 de fevereiro, respeitando as divergências internas do partido”.

Ainda na publicação, Daniel Vilela defendeu “a transparência e a publicidade de todos os documentos relacionados à sucessão no diretório regional do PMDB”.  A confusão teria começado quando Paulo Cesar Martins tentou impedir Pablo Rezende e os demais integrantes da chapa de Nailton Oliveira de ter acesso a documentos que comprovariam uma suposta fraude na assinatura de delegados do partido.

Segundo o deputado estadual, os integrantes do grupo de Rezende não tinham autorização para pegar os documentos. Pablo Rezende informou ao Jornal Opção que tinha autorização do presidente da Comissão Provisória, Pedro Chaves, para fazer cópias dos papéis.

Confira na íntegra a nota de Daniel Vilela:

A propósito dos fatos ocorridos na sede do diretório do PMDB na tarde de quarta-feira, o deputado federal Daniel Vilela, candidato à presidência do partido em Goiás, faz as seguintes observações:
– Não aceita e nem compactua com qualquer tipo de violência, verbal ou física, envolvendo filiados do partido;
– Defende a transparência e a publicidade de todos os documentos relacionados à sucessão no diretório regional do PMDB;
– Confia plenamente na autonomia e isenção dos membros dos diretórios municipais que enviaram suas informações para a formação das chapas. Caso haja algum questionamento, a Executiva do partido deve se manifestar;
– Conclama todos os filiados do PMDB para uma eleição pacífica e democrática no próximo dia 5 de fevereiro, respeitando as divergências internas e a história do maior partido de Goiás.

Daniel Vilela