Em meio a caos, secretaria decide remanejar servidores nas unidades de saúde

Em comunicado, superintendente da pasta admite falta de recursos e avisa profissionais sobre remoções temporárias a outras unidades

A superintendente de Gestão de Redes de Atenção a Saúde, Luciana Curado Santos, enviou um comunicado aos servidores do Centro Integrado Assistência Municipal Saúde (Ciams) do Novo Horizonte, avisando sobre remanejamento para outras unidades por falta de profissionais.

O documento datado de 20 de novembro admite o déficit de Recursos Humanos na Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

“A Superintendência de Gestão de Redes de Atenção a Saúde informa que, a partir desta data, quando necessário e com aviso prévio, poderão ser realizadas remoções temporárias para unidade de saúde que estiverem com déficit na escala de plantão”, diz o comunicado.

Afastamento

Nesta semana, vereadores que compõem a Comissão Especial de Inquérito que investiga irregularidades na Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia aprovaram requerimento pedindo o afastamento imediato da secretária Fátima Mrué.

O documento, de autoria do vereador Jorge Kajuru (PRP) e aprovado pelos demais integrantes da CEI, sugere que Mrué seja afastada da função de gestora da pasta e permaneça na prefeitura como “conselheira” ou “assessora direta do prefeito”, para “contribuir no combate à máfia que se instalou na Saúde em Goiânia”.

O pedido vem após denúncia de que o atendimento odontológico em Goiânia está suspenso há vários meses, mesmo diante da normalidade do repasse do Ministério da Saúde, que envia R$ 200 mil ao mês para a prefeitura realizar o serviço.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.