Em junho, Marconi percorre 60 municípios na segunda etapa do Goiás na Frente

Até setembro, ele terá visitado as 246 cidades goianas para lançar, vistoriar obras, assinar ordens de serviço e convênios com as prefeituras

O Governador Marconi Perillo repassa recursos do programa Goiás na /Foto: Eduardo Ferreira

Depois de ter coordenado em 11 cidades os encontros regionais do programa Goiás na Frente, o governador Marconi Perillo se prepara para iniciar, em junho, a execução da segunda etapa, que compreende a visita a todos os 246 municípios goianos até o mês de setembro. Em junho, Marconi comparecerá a 60 cidades para lançar, vistoriar obras, assinar ordens de serviço e convênios com prefeitos de todos os partidos, além de repassar recursos do Estado para as prefeituras.

Dos R$ 9 bilhões em investimentos previstos pelo Goiás na Frente, sendo R$ 6 bilhões provenientes do Tesouro Estadual e R$ 3 bilhões de recursos privados, Marconi já havia anunciado em fevereiro que o governo estadual destinaria R$ 500 milhões para realização de convênios e parcerias com as prefeituras. O anúncio foi feito depois que ele recebeu em audiências individuais os 246 prefeitos goianos e definiu com eles as prioridades de cada município.

Muitas cidades já receberam os recursos por meio de convênios assinados entre governo estadual e prefeituras pelo Goiás na Frente. A maioria dos convênios, definidos pelos prefeitos, é para recapeamento e asfaltamento de ruas. “Não dissemos aos prefeitos como eles devem aplicar o dinheiro. Cada um sabe a prioridade que tem. Eles têm liberdade para investir de acordo com a necessidade de suas comunidades. Essa é a nossa maneira de fazer parceria, respeitando os prefeitos, sendo republicanos”, afirmou Marconi há uma semana no encontro regional do programa em Planaltina.

Os recursos do Goiás na Frente foram divididos de acordo com a necessidade de cada região, prioritariamente em obras rodoviárias, civis e nas áreas da Saúde e Educação. Só para obras rodoviárias, o governo estadual destinou mais de R$ 650 milhões, principalmente para duplicações e construções de aeródromos.

O Goiás na Frente, segundo cálculos do Instituto Mauro Borges (IMB), do governo goiano, deve gerar em torno de 12 mil novos empregos para Goiás e vai impulsionar o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). Os postos de trabalho serão gerados especialmente no setor da construção civil, já que grande parte dos investimentos será destinada para obras de infraestrutura, como rodovias, construção de hospitais e grandes obras civis.

Considerado o maior programa de investimentos em um cenário de crise econômica, o Goiás na Frente é resultado do planejamento administrativo e das medidas de austeridade fiscal adotadas por Marconi ainda no final de 2014. O conjunto de investimentos reúne receitas resultantes do ajuste fiscal, da privatização da Celg Distribuição, de receitas do Orçamento Geral do Estado, convênios com a União e de aportes da iniciativa privada.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.