Presidente do Brasil atacou Mark Ruffalo e o relacionou à esquerda brasileira

O presidente Jair Bolsonaro (PL) usou seu perfil no Twitter para responder ao ator Mark Ruffalo, após ele fazer críticas ao governo brasileiro e alertar o presidente norte-americano, Joe Biden, de ameaças de golpe e desrespeito à democracia. Na resposta, Bolsonaro ironiza o trabalho do autor, ataca a esquerda e se compara a outro personagem: o Capitão América.

A postagem de Ruffalo deu início ao episódio. Na quinta-feira, 9, o ator postou uma mensagem marcando o perfil oficial do presidente dos Estados Unidos da América, pedindo que Biden fique do lado da democracia ao se encontrar com Bolsonaro às vésperas da Cúpula das Américas, a se realizar em Los Angeles, em julho. A partir daí, Bolsonaro fez uma série de postagens em respostas a Ruffalo, em inglês.

Logo de início, o texto refere-se ao ator com o sobrenome Ruffles, ao invés de seu nome real. Na sequência, o presidente diz Ruffalo deve desconhecer a Constituição Federal, garantindo que ela “não é nada como os complicados roteiros do Hulk que você deve memorizar”, sugerindo que o ator só precisa grunhir nas telas. Além disso, o presidente defendeu seu governo, se colocando ao lado da lei e da democracia, e atacando a esquerda. “É a esquerda brasileira (seus mestres) que querem controlar a imprensa, frear a liberdade de imprensa, censurar a internet e financiar ditaduras como Cuba e Venezuela”, escreveu.

Bolsonaro ainda segue, comparando-se a um outro herói que compartilha as telas de cinema com o personagem de Ruffalo: o Capitão América. O presidente sugere um cenário em que o vilão Thanos, na condição de estrangeiro que não conhece as leis dos EUA, tentasse interferir no país, num suposto governo do super-herói militar. “É Thanos, e não o Capitão América, que está desrespeitando a democracia”, escreveu.

Por fim, o presidente ainda ataca o ator, enaltecendo a série de TV do Hulk (de 1978), ao dizer que o original era muito melhor, por não precisar de computador para parecer forte e realmente entender a natureza.

Durante a semana, Ruffalo já havia criticado a atuação do governo de Bolsonaro na área ambiental e comentado sobre o desaparecimento do indigenista brasileiro Bruno Araújo Pereira e do jornalista britânico Dom Philips na Amazônia, pedindo resposta internacional sobre o caso.

Confira a postagem original: