Em greve há 12 dias, servidores da saúde de Goiânia protestam na Av. Universitária

Categoria alega que até o momento a Prefeitura não iniciou a negociação e que a reunião que deveria ocorrer hoje foi desmarcada pelo Paço

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para marcar o 12º dia de greve servidores municipais da saúde de Goiânia realizaram protesto na manhã desta segunda-feira (23/6) na Avenida Universitária, interrompendo por alguns minutos o trânsito na região. Cerca de 100 grevistas entregaram à população panfletos relatando a situação da categoria na capital e os motivos do movimento grevista. O ato foi centralizado em frente à sede da Vigilância Sanitária, pois os grevistas afirmam que a direção da pasta tem adotado medidas consideradas abusivas, como retirar os cartazes afixados pelos manifestantes.

Paralisados desde o último dia 11, os servidores têm atendido somente casos de urgência e emergência nas unidades de saúde vinculadas ao município. Presidente do Sindicado dos Trabalhadores do Sistema Único de Saúde do Estado de Goiás (Sindsaúde), Flaviana Alves Barbosa alega que até o momento a Prefeitura não iniciou a negociação, sendo que a reunião que deveria ocorrer hoje foi desmarcada pelo Paço. Novo protesto está agendado para terça-feira (24) de manhã, em frente à Maternidade Nascer Cidadã, no Jardim Curitiba.

Os servidores reivindicam pelo pagamento da data-base 2014 sem parcelamento, adicional de insalubridade, pagamento do auxílio movimentação, segurança nas unidades de saúde, bem como o cumprimento do plano de carreira e a inclusão dos servidores administrativos no plano de carreira. O protesto também é contra a terceirização das unidades de saúde e revogação do artigo 99 A e 98 B da lei que trata da incorporação de gratificação para função de confiança e cargo de chefia.

A reportagem tentou contato com o secretário de saúde de Goiânia, Fernando Machado, mas a ligação não foi atendida. Os telefonemas feitos à sede da secretaria também não foram atendidos até esta publicação.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.