Em Goiás, sindicalistas fazem jejum contra reforma da Previdência

Militantes pretendem acampar em frente à Assembleia Legislativa e ficar sem comer por 9 horas

Representantes de entidades sindicais planejam realizar um jejum nesta quarta-feira (13/12) em protesto ao projeto da reforma da Previdência. Os militantes irão se concentrar na Assembleia Legislativa de Goiás às 9 horas e permanecerão no local até às 18 horas. O ex-prefeito, Pedro Wilson, de Goiânia fará parte da iniciativa.

O ato é solidário ao que é realizado na Câmara dos Deputados em Brasília, onde diversos representantes de entidades sindicais estão há 8 dias em greve de fome e acampados em forma de resistência à votação da medida impopular.

Militantes do Movimento de Mulheres Camponesas, do Movimento dos Pequenos Agricultores e do Movimento das Trabalhadoras e Trabalhadores por direitos compõem o manifesto na capital federal.

Além do ex-mandatário goianiense, estão confirmados no jejum goiano João Pires Júnior, coordenador do Fórum Goiano Contra as Reformas da Previdência e Trabalhista; Sérgio Laberto Dias do Instituto Brasil Central (Ibrace) e do Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduíno; Valminandes Martins, dirigente do PT de Goiás; Fabio José, membro da Comissão Pastoral da Terra (CPT); Walter Monteiro, representante da Central de Movimentos Populares (CMP).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.