Em Goiás, motorista expulsa índio de ônibus e o manda voltar para aldeia

Sancler Towara Tsorote, de 28 anos, teve que andar 9 km até um posto da PRF, onde pediu ajuda. Caso será investigado pela Polícia Civil

Foto: Divulgação/PRF

Um índio da tribo Xavante foi expulso na manhã desta terça-feira (7/2) de um ônibus que viajava rumo a Goiânia, na BR-153, no município de Morrinhos. Sancler Towara Tsorote, de 28 anos, teve que caminhar cerca de nove quilômetros até um posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para pedir ajuda.

Em entrevista ao Jornal Opção, por telefone, Sancler conta que o motorista do ônibus, que não era o mesmo do início da viagem, parou o veículo sem nenhum motivo aparente e pediu para olhar sua documentação e passagem.

Documento de passe livre de Sancler | Divulgação

Ao checar a carteira de passe livre do índio, expedida pelo governo federal, o condutor alegou que o documento, assim como o bilhete, era falso e o expulsou do veículo. “Me mandou descer, tentando colocar todos os passageiros contra mim. Falou que o pessoal do ônibus era ‘mais índio’ do que eu”, contou. Já fora do veículo, o motorista ainda teria dito a Sancler que “lugar de índio é na aldeia”.

O indígena saiu de Belo Horizonte com destino a Goiânia, onde pegaria outro ônibus para a cidade de Barra do Garças, no Mato Grosso. Não restam dúvidas para Sancler de que ele foi sido alvo de discriminação. “Sim, foi preconceito”, enfatiza.

A PRF ainda não identificou o motorista do ônibus, mas informou à reportagem que já registrou Boletim de Ocorrência e irá levar o caso agora para a Polícia Civil. Até o início da tarde desta terça, por volta das 14h30, Sancler ainda esperava no posto da PRF em Morrinhos para seguir viagem rumo a capital.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Paulo Henrique Do Nasçimento

Por em incrível que pareca ainda tem muito preconceito contra os Índios nos Negros que o diga e o Governo somente sabe passar a penas leves para este tipo de ocorrência

Daniel ariman

Infelizmente acontece muito essas tipos de discriminação no país no território nato brasileiro. Onde tem gente pobre de conhecimento histórico brasileiro. De dizer que lugar de índio é na aldeia. Digo mais: o nosso país é um território nato indígena. O Brasil é território indígena. Ou seja não é o índio quem vem para à cidade,É a cidade quem vem até o índio…