Em Goiás, 450 mil pessoas de grupos prioritários ainda não se vacinaram contra gripe

Vale lembrar que a vacina contra influenza não tem eficácia contra o coronavírus que causa a Covid-19, mas ajuda os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para a doença

Meta é de 90 de imunizados / Foto: Divulgação

 

Apesar de a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe seguir a pleno vapor, cerca de 450 mil pessoas pertencentes a grupos prioritários em Goiás ainda não se vacinaram para se proteger da doença. A vacinação foi prorrogada até o dia 30 do mês de junho em etapa voltada para indivíduos de grupos como idosos, gestantes de trabalhadores em saúde.

Desde que a campanha de vacinação teve início, já foram aplicadas 1.727.480 doses da vacina contra Influenza em Goiás, segundo dados Programa Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde. A meta é imunizar 90% dos grupos prioritários, ou seja, 2.186.183 pessoas.

A etapa que segue até o fim do mês destina-se aos indivíduos não vacinados dos seguintes grupos: crianças de 6 meses a 5 anos de idade, gestantes, trabalhadores em saúde, puérperas (mulheres de até 45 dias após o parto), idosos, adultos de 55 a 59 anos, pessoas com deficiência, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e condições clínicas especiais, membros das forças de segurança, caminhoneiros e motoristas de transporte coletivo, funcionários do sistema prisional, privados de liberdade, indígenas e professores.

A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) informou que recebeu 2.429.200 doses que foram encaminhadas aos 246 municípios do Estado. A previsão é de receber mais 16 mil doses, ainda esta semana, do Ministério da Saúde. Três grupos já atingiram, inclusive ultrapassando, a meta de 90%: profissionais de saúde, com uma cobertura vacinal de 100%; indígenas, 200%; e idosos, 123%. As coberturas nas outras categorias estão abaixo da meta, como crianças, 45%; gestantes, 69%; puérperas, 73%; e adultos, 39%.

Vale lembrar que a vacina contra influenza não tem eficácia contra o coronavírus que causa a Covid-19, porém, neste momento, irá auxiliar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para a doença, já que os sintomas são parecidos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.