Em Goiânia, fundador do Renova diz que candidatos a presidente não possuem projeto consistente

Eduardo Mufarej defende ainda a candidatura independente e enxerga partidos enfraquecidos 

O fundador do RenovaBR, Eduardo Mufarej está em Goiânia, nesta quinta-feira (23/8), para visita aos selecionados da iniciativa que visa promover a qualificação dos candidatos a cargos eletivos. Em todo os país, foram 133 nomes escolhidos, sendo seis deles em Goiás: três candidatos a deputados federais e três deputados estaduais.

A iniciativa foi criada em 2017 com o objetivo de fazer um movimento de renovação política, permitindo mudar o quadro atual em que, segundo Eduardo Mufarej, a política é “hereditária”. O fundador da iniciativa esteve no Jornal Opção onde participou de uma entrevista e explicou os ideais do Renova.

“Os nossos políticos não tem nenhuma formação específica e foi justamente nesse espaço que a gente quis entrar e atuar. Fazer com que eles pudessem ter uma preparação muito robusta, muito forte, ancorada na compreensão dos desafios do Brasil”.

Eduardo Mufarej garante que a seleção do Renova busca em primeiro lugar a diversidade, pessoas com histórico de realização e liderança, com reputação consistente e vontade de servir. Os selecionados, no entanto, se comprometem com as contrapartidas estabelecidas pelo programa.

“São quatro contrapartidas: cumprir mandato, eliminação de privilégios e redução drástica de verbas de gabinete e verbas indenizatórias, ser proponente de reforma política e mudar o patamar de relação com os eleitores através da adoção de uma plataforma e tecnologia”.

Os selecionados pelo Renova podem escolher independentemente os seus partidos. De acordo com o fundador, que defende a candidatura avulsa, a idéia do projeto era não limitar o acesso baseado nas siglas, mas sim nas intenções de cada candidato já que os partidos estão enfraquecidos.

“A candidatura independente é uma necessidade. No momento partidário que nós temos no Brasil em que você tem uma excessiva fragmentação, aonde os partidos do ponto de vista de ideologia não representam mais uma orientação ou ua visão de mundo, aonde essas pessoas vão?”, argumenta.

Questionado sobre o cenário da disputa presidencial, Eduardo Mufarej diz que ainda  não encontrou o melhor nome para representar o país.

“Nenhum candidato conseguiu apresentar para a sociedade um projeto de país com um mínimo de consistência com aquilo que os brasileiros querem”, finaliza.

Deixe um comentário