Em Goiânia, Ciro Gomes chama Bolsonaro de “nazista” e diz que “revolta sem causa é violência”

Candidato pelo PDT participou de caminhada no Centro da cidade nesta sexta-feira (21/9)

Foto: Fábio Costa/Jornal Opção

Marcelo Mariano e Matheus Monteiro 

Em visita a Goiânia nesta sexta-feira (21/9), o candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) chamou o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) de “nazista filho da puta”. A declaração foi dada após coletiva de imprensa na Praça Universitária.

“Bolsonaro representa uma repulsa da população brasileira à própria degradação da política. A gente precisa, com muita humildade, reconhecer a revolta do povo, mas pedindo a Deus que ensine ao povo que revolta sem causa é violência, é ódio. E revolta e violência nunca permitiram que nenhuma nação do mundo resolvesse os seus problemas”, declarou.

Durante caminhada na cidade paulista de Guarulhos esta semana, Fernando Haddad (PT) afirmou que um presidente “precisa ter autocontrole para evitar provocações”. Questionado sobre a declaração, Ciro disse “presidente forte é aquele que cumpre a palavra depois que se elege para manter o respeito e a consideração do povo”. “Eu sou amigo do Haddad e nenhum de vocês vão conseguir fazer intriga entre mim e ele. A vida nos colocou em um momento grave de antagonismo pela sorte do nosso país”, disse.

Por fim, o candidato questionou o crescimento do candidato do PT nas últimas pesquisas. “Sendo ele uma boa pessoa, será que o Brasil aguenta uma candidatura que precisa da escora de uma personalidade exuberante e querida por muitos brasileiros como o Lula? E se ele perder a eleição nós vamos entregar o Brasil ao nazismo, ao fascismo?”, indagou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.