Em entrevista, ministro da Educação afirma que crianças com deficiências atrapalham demais alunos a aprender

Na mesma entrevista, Milton Ribeiro afirmou que a universidade deveria, na verdade, “ser para poucos, nesse sentido de ser útil à sociedade”

Em declaração polêmica, ao programa ‘Sem Censura’, da TV Brasil, nesta segunda-feira, 16, ministro da Educação, Milton Ribeiro afirma que crianças com deficiências “atrapalham” os demais alunos que não tem a mesma condição, no processo de aprendizado, quando são colocadas na mesma sala de aula. O comentário gerou revolta entre parlamentares da oposição e em muitos internautas pelas redes sociais.

“O que é inclusivismo? A criança com deficiência é colocada dentro de uma sala de alunos sem deficiência. Ela não aprendia, ela ‘atrapalhava’ — entre aspas, essa palavra eu falo com muito cuidado – ela atrapalhava o aprendizado dos outros, porque a professora não tinha equipe, não tinha conhecimento para dar a ela, atenção especial”, disse o ministro, à emissora.

Deputada da oposição, Maria do Rosário (PT-RS), se pronunciou sobre o caso nas redes sociais. Confira:

A deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL-RS) divulgou, em seu perfil, parte da entrevista.

Outras falas de Ribeiro na mesma entrevista também irritaram os telespectadores. Entre elas, a que o ministro afirmou que a universidade deveria, na verdade, “ser para poucos, nesse sentido de ser útil à sociedade”. “Tenho muito engenheiro ou advogado dirigindo Uber porque não consegue colocação devida. Se fosse um técnico de informática, conseguiria emprego, porque tem uma demanda muito grande”, acrescentou.

Ele ainda disse que reitores de universidades não poderiam ser “esquerdistas, nem lulistas”. “Não precisa ser bolsonarista. Mas não pode ser esquerdidas, nem lulista. Reitor tem que cuidar da educação e ponto final. E respeitar todos que pensam diferente. As universidades federais não podem se tornar comitê político, nem direita, muito menos de esquerda”, declarou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.