Em entrevista, Iris ameniza renúncia de Major Araújo ao cargo de vice

Durante diplomação, prefeito eleito comentou desistência de seu vice e disse que não precisou ser substituído durante o tempo em que ficou à frente da prefeitura

Divulgação

Divulgação

Em entrevista coletiva, logo após evento que o diplomou ao cargo de prefeito, na manhã desta sexa-feira (16/12), o peemedebista Iris Rezende comentou pela primeira vez a renúncia do vice-prefeito eleito em Goiânia, deputado estadual Major Araújo (PRP). O parlamentar anunciou a desistência na última semana, alegando que teria sofrido “boicote” e “censura” pela campanha de Iris.

À imprensa, o prefeito eleito amenizou as declarações do Major e enfatizou que, durante sua última gestão à frente de Goiânia, que durou de 2004 a 2010, não precisou ser substituído por seus respectivos vices uma vez sequer — apesar de ter se ausentado para disputar o governo e deixado o atual prefeito Paulo Garcia (PT) em seu lugar.

“O vice é para substituir o prefeito em suas ausências e nos seus impedimentos. Na minha última gestão como prefeito fiquei 5 anos e 3 meses, e não viajei nenhum dia sequer, nem tive impedimentos. Lamento a ausência do vice, mas espero desempenhar todo meu mandato sem qualquer prejuízo para a cidade”, pontuou o decano.

Equipe em construção

Quanto ao secretariado, Iris fez mistério e preferiu não oficializar ainda nenhum nome. Mas garantiu ter uma lista extensa de sugestões. “Na intimidade, eu tenho inúmeros nomes, e, em breve, irei oficializá-los”, adiantou.

“Quando eu monto minha equipe eu faço relações de nomes enormes e procuro prestigiar o mundo político e o técnico. Nunca componho uma administração para atender interesses meramente políticos, pessoais e classistas. Eu quero atender é a sociedade”, completou.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.