Em decisão histórica, Igreja Presbiteriana dos EUA autoriza e reconhece casamento gay

Após assembleia geral, a denominação passa a considerar o casamento como a união entre “duas pessoas” e não apenas entre “um homem e uma mulher”

casamento-gay-homens-igreja2

Foto: Reprodução

A Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos da América (EUA) decidiu reconhecer e autorizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A decisão histórica ocorreu na última quinta-feira (19/6) durante assembleia geral desta igreja, que conta com 1,9 milhão de integrantes. Pela decisão, os presbiterianos estadunidenses passam a considerar o casamento como a união entre “duas pessoas” e não apenas entre “um homem e uma mulher”.

A emenda acatada requer ainda a aprovação da maioria dos 172 presbitérios regionais, que podem votar ou não pela mudança ao longo do próximo ano. Entretanto, a maioria dos delegados aprovou uma “recomendação” que oferece aos oficiantes a liberdade para celebrar “qualquer matrimônio que o Espírito Santo os convide a celebrar” nos estados do país onde a união entre gays é legal.

Atualmente, 19 dos 50 estados norte-americanos e a capital do país, Washington, autorizam os casamentos de pessoas do mesmo sexo. Conforme pesquisa Gallup, publicada há cerca de um mês, 55% dos cidadãos dos EUA apoiam o casamento igualitário.

Segundo informações da agência de notícias Associated Press, o encontro nacional da Igreja Presbiteriana dos EUA em Detroit contou com vitória arrasadora para os defensores dos direitos gays. Ao todo, foram 371 votos  contra 238 para permitir a celebração de casamentos entre homossexuais e 429 votos favoráveis, contra 175, à alteração da definição de casamento presente no texto constitucional do país.

A Human Rights Campaign (HRC), entidade que luta a favor da igualdade no casamento, saudou como histórica a decisão. Em comunicado, a HRC afirmou que os fiéis sabem agora que “sua religião não os afasta dela e sim dá um passo gigante para ser acolhedora para todos”.

A Igreja Presbiteriana Americana (PCUSA), integrada por 10 mil congregações, é uma igreja protestante de origem escocesa. Criada em 1983, ela é a maior denominação presbiteriana nos EUA atualmente e se opõe à “Presbyterian Church in America”, considerada conservadora. Em nota, esta última condenou os resultados do encontro em Detroit ao afirmar que a “Assembleia Geral cometeu um repúdio expresso contra a Bíblia”.

5 respostas para “Em decisão histórica, Igreja Presbiteriana dos EUA autoriza e reconhece casamento gay”

  1. Helton Nunes disse:

    É o fim dos tempos meus amigos, devemos orar pra Jesus voltar logo, se não ninguém vai se salvar.

  2. Guest disse:

    Não sei se todos sabem, MAS EXISTEM 02 DENOMINAÇÕES QUE LEVAM O NOME DE “PRESBITERIANA” NOS EUA, a “Presbyterian Church (USA)”, em
    Português, “Igreja Presbiteriana (EUA)” ou pela sigla “PCUSA”,
    esta é uma denominação de igreja Cristã Protestante moderada ou
    “liberal,” que aceitou o homossexualismo conforme dito acima, ela
    é o oposto da “Presbyterian Church in America” conhecida como a
    “conservadora” nos Estados Unidos, em português “Igreja Presbiteriana dos EUA”. Embora no Brasil a “Igreja Presbiteriana (EUA)” (LIBERAL) ou “PCUSA” possa ser erroneamente chamada de “Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos da América”, ela não é a igreja Prebiteriana “DOS” Estados Unidos da América (REFORMADA e CONSERVADORA), mas somente de Igreja Presbiteriana “EUA”. O fato é que ela saiu da IP dos EUA, não quer dizer que todas as
    Presbiterianas aderiram essa postura. Não sei se isso é falta de
    informação da parte de alguns aqui no Brasil, que divulgam essas
    informações generalizadas ou se isso é por maldade mesmo com uma
    das igrejas protestantes mais antigas do mundo e do Brasil. Em parte da nota, em que o vice presidente da IPB – Igreja Presbiteriana do brasil, disse sobre a postura da PCUSA: “Ela traiu sua herança presbiteriana e o que é mais importante, traiu o Cristianismo bíblico.”

    Vale lembrar que a questão da homossexualidade da PCUSA não é exclusividade dela, pois o mesmo vem acontecendo com as igrejas e denominações independentes e pentecostais e isso tem gerado divisão entre as igrejas. Não preciso ir muito longe, no Brasil existem congregações que aderiram a
    homossexualidade, inclusive pentecostais.

  3. Antonio disse:

    Esta associação tem que tirar a nomenclatura Igreja Presbiteriana, pois esta associação pode ser tudo, menos igreja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.