Em decisão histórica, Igreja Presbiteriana dos EUA autoriza e reconhece casamento gay

Após assembleia geral, a denominação passa a considerar o casamento como a união entre “duas pessoas” e não apenas entre “um homem e uma mulher”

casamento-gay-homens-igreja2

Foto: Reprodução

A Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos da América (EUA) decidiu reconhecer e autorizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A decisão histórica ocorreu na última quinta-feira (19/6) durante assembleia geral desta igreja, que conta com 1,9 milhão de integrantes. Pela decisão, os presbiterianos estadunidenses passam a considerar o casamento como a união entre “duas pessoas” e não apenas entre “um homem e uma mulher”.

A emenda acatada requer ainda a aprovação da maioria dos 172 presbitérios regionais, que podem votar ou não pela mudança ao longo do próximo ano. Entretanto, a maioria dos delegados aprovou uma “recomendação” que oferece aos oficiantes a liberdade para celebrar “qualquer matrimônio que o Espírito Santo os convide a celebrar” nos estados do país onde a união entre gays é legal.

Atualmente, 19 dos 50 estados norte-americanos e a capital do país, Washington, autorizam os casamentos de pessoas do mesmo sexo. Conforme pesquisa Gallup, publicada há cerca de um mês, 55% dos cidadãos dos EUA apoiam o casamento igualitário.

Segundo informações da agência de notícias Associated Press, o encontro nacional da Igreja Presbiteriana dos EUA em Detroit contou com vitória arrasadora para os defensores dos direitos gays. Ao todo, foram 371 votos  contra 238 para permitir a celebração de casamentos entre homossexuais e 429 votos favoráveis, contra 175, à alteração da definição de casamento presente no texto constitucional do país.

A Human Rights Campaign (HRC), entidade que luta a favor da igualdade no casamento, saudou como histórica a decisão. Em comunicado, a HRC afirmou que os fiéis sabem agora que “sua religião não os afasta dela e sim dá um passo gigante para ser acolhedora para todos”.

A Igreja Presbiteriana Americana (PCUSA), integrada por 10 mil congregações, é uma igreja protestante de origem escocesa. Criada em 1983, ela é a maior denominação presbiteriana nos EUA atualmente e se opõe à “Presbyterian Church in America”, considerada conservadora. Em nota, esta última condenou os resultados do encontro em Detroit ao afirmar que a “Assembleia Geral cometeu um repúdio expresso contra a Bíblia”.

4 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Helton Nunes

É o fim dos tempos meus amigos, devemos orar pra Jesus voltar logo, se não ninguém vai se salvar.

Humberto

inclusive vc por ter opiniao preconceituosa

Guest

Não sei se todos sabem, MAS EXISTEM 02 DENOMINAÇÕES QUE LEVAM O NOME DE “PRESBITERIANA” NOS EUA, a “Presbyterian Church (USA)”, em Português, “Igreja Presbiteriana (EUA)” ou pela sigla “PCUSA”, esta é uma denominação de igreja Cristã Protestante moderada ou “liberal,” que aceitou o homossexualismo conforme dito acima, ela é o oposto da “Presbyterian Church in America” conhecida como a “conservadora” nos Estados Unidos, em português “Igreja Presbiteriana dos EUA”. Embora no Brasil a “Igreja Presbiteriana (EUA)” (LIBERAL) ou “PCUSA” possa ser erroneamente chamada de “Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos da América”, ela não é a igreja Prebiteriana “DOS” Estados… Leia mais

Eduardo

Boa, Humberto!! ;-)

Antonio

Esta associação tem que tirar a nomenclatura Igreja Presbiteriana, pois esta associação pode ser tudo, menos igreja.