Em conversa com amigo, menor atirador defendeu nazismo e revelou ser admirador de Hitler

Veja publicou imagens de um diálogo que ele teve com um amigo na internet 

O adolescente de 14 anos que disparou contra colegas de sala no colégio Goyases, em Goiânia, matando dois e deixando quatro feridos, usava um perfil no Skype com o codinome Adolf e tentava convencer os amigos que o nazismo havia sido positivo para a humanidade. “Com certeza”, diz ele ao ser questionado se Hitler estava certo.

O diálogo foi divulgado pela revista Veja depois que o pai de um dos melhores amigos do jovem decidiu ler as conversas que o filho mantinha com o atirador na internet.

Na conversa, ele afirma que as notícias sobre o holocausto são uma farsa. O amigo, então, tenta convencê-lo do contrário.

Veja trechos do diálogo:

Bom aluno

Advogada da família, Rosângela Magalhães falou nesta sexta-feira com a imprensa após a primeira audiência sobre o caso, que aconteceu no Juizado da Infância e Juventude.

O menor e os pais foram ouvidos hoje pela justiça. Questionada sobre como a família está lidando com a tragédia, a advogada reforçou a tese de que o autor dos disparos era tranquilo e nunca foi motivo de preocupação para os pais.

“Não posso me debruçar sobre esse assunto. Em síntese é que para todos os familiares isso foi uma situação de extrema surpresa e que menino era ajustado, sem qualquer reclamação, sem qualquer tipo de fato passado que levasse a essa preocupação. Um menino ajustado, que tirava boas notas, sem nenhum tipo de problema. Eram uma família harmônica, a relação entre pai e filhos sempre foi muito tranquila”, contou.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Amanda

Esse menino deve morrer antes que procrie! Que nojo, imundo!