Em condições desumanas, trabalhadores de carvoaria são resgatados por polícia em município goiano

*Colaborou Marcelo Gouveia

Conforme relatos das vítimas, eles não recebiam alimentação adequada, nem contavam com condições mínimas de higiene pessoal

Divulgação

Divulgação

Uma operação libertou nessa quarta-feira (17/9) sete trabalhadores que viviam em condições análogas às de escravo em uma propriedade produtora de carvão no município de São João d’Aliança, a cerca de 300 quilômetros de Goiânia. O flagrante foi realizado após determinação do promotor da cidade, Marcelo Brondi, que havia recebido denúncias de que no local os funcionários viviam em condições desumanas.

A operação foi realizada pelo Comando de Operações de Divisas (COD) em conjunto com o Batalhão Ambiental da Polícia Militar (PM). Conforme relatos das vítimas, eles não recebiam alimentação adequada, nem contavam com condições mínimas de higiene pessoal.

“Ocorreu por volta das 15 horas. Eles dormiam em condições precárias, sem condições básicas de saneamento e totalmente rudimentar. O gerente da fazenda foi preso e encaminhado para a delegacia. Agora, por meio dele, vamos chegar ao proprietário da fazenda”, disse Coronel Viveiros ao Jornal Opção Online.

A ocorrência também foi informada à Comissão Estadual de Direitos Humanos. Três dos trabalhadores eram da etnia Kalunga, que é protegida por lei federal.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.