Em carta, vice-presidente da Casag explica por que recusou convite para diretoria do CEL

Marcelo Di Rezende afirma que não concorda com os rumos tomados pela administração Lúcio Flávio e, que, portanto, não poderia aceitar o cargo

No documento, Marcelo elenca os motivos que o levaram a deixar de apoiar o grupo do presidente Lúcio Flávio | Foto: Reprodução

O vice-presidente da Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (Casag), Marcelo Di Rezende, divulgou carta em que explica quais os seus motivos para recusar convite do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Lúcio Flávio de Paiva Siqueira, para ser diretor do Centro de Esporte e Lazer (CEL) do órgão.

Segundo Marcelo, a decisão foi tomada porque ele não concorda “com os rumos que essa direção da OAB-GO vem tomando desde meados do ano passado”. Destacando que o cargo seria de grande importância e responsabilidade, visto que seu ocupante não só teria que receber os gestores do clube como também cuidar da parte financeira.

Na carta, ele elenca motivos que o levaram a divergir da administração Lúcio Flávio: A polêmica eleição para o cargo de Secretário Geral Adjunto, as exclusões e posteriores renúncias de diretores de comissões e uma prestação de contas de campanha que, para ele, é “frágil e contestável”.

Veja na íntegra:

Deixe um comentário