Em carta à FAO, papa critica especulação com preços de alimentos

O papa questionou até quando se defenderão “sistemas de produção e de consumo que excluem a maior parte da população mundial, inclusive das migalhas que caem da mesa dos ricos?”

O papa Francisco criticou a especulação com os preços dos alimentos em nome do “deus lucro” e pediu aos produtores agrícolas que “modifiquem as regras da produção e comercialização”, porque “as pessoas que têm fome não são números”.

Em carta ao diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), o brasileiro José Graziano, o papa questionou até quando se defenderão “sistemas de produção e de consumo que excluem a maior parte da população mundial, inclusive das migalhas que caem da mesa dos ricos? Chegou a hora de pensar e decidir a partir de cada pessoa e comunidade, e não com base na situação dos mercados”, advertiu o pontífice na mensagem.

No Dia Mundial da Alimentação, comemorado nesta quinta (16/10), ao se dirigir à organização da ONU, que tem sede em Roma, o papa disse que se assiste hoje “com impotência” e “indiferença” à destruição e ao desperdício de alimentos em um mundo em que 805 milhões de pessoas passam fome.

“Aqueles que sofrem com a insegurança alimentar e a desnutrição são pessoas, e não números” e, portanto, estão “acima de qualquer cálculo ou projeto econômico”, enfatizou Francisco na carta a Graziano.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.