Em áudio, mulher oferece gasolina em troca de participação em evento com Caiado

Autora da gravação é apontada como coordenadora de campanha do pré-candidato a deputado estadual Túlio Santillo. Os dois negam

Divulgação

Nathan Sampaio e Marcelo Gouveia

Áudio que circula nas redes sociais e tem gerado especulações, sobretudo na região do Entorno de Brasília, mostra uma mulher, identificada como coordenadora da campanha do pré-candidato a deputado estadual Túlio Santillo (DEM), oferecendo combustível em troca da participação em evento realizado no final de semana na cidade de Águas Lindas.

“Conto com a sua presença lá, 11h30, com a presença do Ronaldo Caiado, Kajuru… Não falte e leve o máximo de pessoas que você puder. Se precisar levar duas viagens você leva, que eu te dou a gasolina e você me cobra, por favor. Não vai embora antes de me cobrar não. Já vai vendo até mesmo o pessoal para trabalhar com você, porque vou colocar você na coordenação”, diz a mulher no áudio.

O encontro foi organizado por Túlio para o lançamento de sua pré-candidatura e foi prestigiado pelo pré-candidato ao governo pelo DEM, Ronaldo Caiado. Vídeo publicado nas redes sociais do senador mostra os dois à frente do evento.

Procurada pela reportagem, a mulher identificada como autora do áudio, também filiada ao Democratas, admite ter ligações com o pré-candidato a deputado estadual, tendo sido, inclusive, candidata à vice-prefeita de Túlio nas eleições municipais de Águas lindas. Ela, no entanto, nega ser coordenadora da campanha de Túlio, assim como nega ter oferecido combustível a qualquer pessoa.

“Eu não sou ninguém. Sou moradora de Águas Lindas, eleitora e visto a camisa do pré-candidato. Mas não sou coordenadora de campanha. É só mais uma que estão querendo armar”, explica. (Confira abaixo o áudio em questão e parte da entrevista da mulher ao Jornal Opção)

Em entrevista, Túlio confirmou não possuir coordenadora de campanha e que só responde pelo que ele mesmo fala. “Iracema eu conheço. É uma amiga minha, mas conheço várias pessoas. […] Tenho nada a ver com ela. Ela faz o que quiser. Eu respondo pelo que falo”, afirmou.

Reponsabilidade eleitoral

Advogados eleitorais ouvidos pela reportagem explicaram que o caso não poderia se enquadrar como indício eleitoral, uma vez que ocorreu em período que antecede à campanha. Caso o áudio tivesse sido registrado a partir do início estabelecido pela Justiça eleitoral, a gravação poderia indicar compra de votos e ser enquadrada como crime.

Ainda sim, os especialistas alertam que, mesmo não havendo regulamentação eleitoral para o período de pré-campanha, o caso poderia configurar como crime de abuso de poder econômico, desde que houvesse potencialidade — ou seja, se ocorresse repetidas vezes e com mais de uma pessoa. Neste cenário, a pena estabelecida abrangeria a inelegibilidade do candidato e a cassação de registro.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Willian Idelfonso

? ESSE ASSUNTO NÃO PASSA DE COISA DE POLITIQUEIROS DESESPERADOS E SUAS *DESARTICULAÇÕES FRUSTRADAS!

TOTALMENTE SEM CREDIBILIDADES!…

Porém, o evento foi bom, foi muito bom, foi bom de mais, e será melhor ainda, pois, foi apenas uma pequena demonstração da força que ainda está por vir…

Os responsáveis e os envolvidos pela divulgação da imagem e voz, sem autorização, serão devidamente responsabilizados.

Dr. Willian IDELF0NS0 ???
Advogado.

Emabio

Eu acho que esse tipo de política não trás melhorias e nem benéficio para nossa Cidade. Isso é continuação do fracasso de governos passados e ver a continuação da mesmice. Renovação se faz com transparência trabalho e não enganando e comprando o Povo..