Em ano eleitoral, CDTC pode demorar a conhecer novo presidente

Para vereador Lucas Kitão, que representa a Câmara Municipal no colegiado, sucessor só deve tomar posse do cargo se houver pressão dos empresários em relação ao aumento da tarifa 

Foto: Reprodução/RMTC

A Câmara Deliberativa de Transporte Coletivo (CDTC) segue sem presidente. Após o prefeito de Trindade, Jânio Darrot (PSDB), deixar o posto, a expectativa era de que o prefeito de Senador Canedo, Divino Lemes, assumisse a liderança do grupo. No entanto, essa possibilidade já foi descartada, haja vista que o prefeito não possui qualquer pretensão de ocupar a presidência do colegiado.

“É uma novidade um prefeito se recusar a assumir. No estatuto há essa brecha (sobre o que fazer diante da recusa). A lei é nova, de 2014, e prevê que haja um rodizio, mas a meu ver deveríamos deliberar sobre isso”, disse o representante da Câmara Municipal de Goiânia na CDTC, vereador Lucas Kitão.  De acordo com o parlamentar, seguindo a linha sucessória, o cargo, agora, deve recair sobre o prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB).

Vereador Lucas Kitão (PSL) / Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Questionado sobre os possíveis prazos para que Iris assuma o posto, Kitão disse que o estatuto também não prevê uma data específica. Diante disso, o vereador pensa que pode haver uma demora significativa.

“Além de ser um ano de eleição, a CDTC só tem se reunido só para discutir aumentos na tarifa. O prefeito Iris, bem como seus auxiliares que também preenchem os quadros da CDTC, já manifestou seu apoio aos empresários. Sendo assim, em ano eleitoral, acho que o prefeito tende a evitar. Só se for por pressão dos empresários”, refletiu.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.