Em ano de corrida eleitoral, estatística ajuda a entender pesquisas

Em decimo lugar, população brasileira considera pesquisas eleitorais como questão determinante antes de votar, de acordo com Ibope

Em ano de disputa eleitoral, é comumente veiculado, em portais de notícias, matérias referente às pesquisas eleitorais. Com a corrida à presidência do Brasil, governo estadual, senado, deputados estaduais e federais neste ano de 2022, manchetes como essa temática serão cada vez mais produzidas. Para uma leitura correta das informações publicadas nestes estudos, é necessário entender conceitos teóricos, além da área matemática que é a estatística.

Apesar de seguir conceitos e critérios matemáticos, uma pesquisa pode sim apresentar resultados não exatos. Porém, um estudo realizada pelo Ibope, em 2018, revelou que outros elementos são mais determinantes para o voto dos brasileiros. Dentre as 16 opções apontadas no levantamento, as pesquisas eleitorais aparecem em décimo lugar. De acordo com o Ibope, os cinco fatores que mais auxiliam na decisão dos eleitores brasileiros são: as notícias divulgadas na TV, os debates entre os candidatos, a opinião de pessoas próximas, as notícias divulgadas nos jornais e a propaganda eleitoral.

As pesquisas eleitorais devem, ainda, seguir os critérios determinados pela Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997) e pela Resolução nº 23.600/2019 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Caso contrário, o estudo é considerado fraudulento e o realizador pode ser multado ou até detido.

Conceitos

Palavras como “população”, “amostragem” e “margem de erro” aparecem ao longo do texto de pesquisas eleitorais em diversos momentos. Desta forma, a primeira palavra tem relação com o universo do tema da pesquisa. Em relação às eleições, o eleitorado brasileiro. Dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) revelam que, em 2020, 147.918.483 eleitores brasileiros estão aptos a votar nas Eleições. 

Em relação ao termo amostragem, o número do eleitorado do país influencia uma vez que as pesquisas não têm condições de entrevistar um público tão alto. Desta forma, a amostragem é um número reduzido de pessoas que representa a população total. Uma parte desse todo deve manter, proporcionalmente, as mesmas características, no intuito de que os resultados sejam mais fidedignos. Neste conceito, questões como gênero e classe social também influenciam no resultado.

A margem de erro é um termo e um acontecimento comum em pesquisas eleitorais. Este termo está relacionado ao fato de que as pesquisas eleitorais trabalham com estimativas. É algo natural desse tipo de levantamento, o que não inviabiliza a sua confiabilidade ou importância. Essa é uma informação que tem obrigatoriedade de ser divulgada pelos realizadores do estudo. Por isso, quando os percentuais de intenção de votos dos candidatos são apresentados, eles devem ser analisados considerando a margem de erro da pesquisa.

Interpretar dados

Em relação a parte estatística de uma pesquisa, após a definição da amostragem, é feito o cálculo de probabilidades, sendo testados diferentes cenários, como a disputa entre vários candidatos em um primeiro turno e as possíveis alternativas entre dois nomes para o segundo.

Os percentuais apresentados pelos candidatos na pesquisa correspondem ao total de intenção de votos dentro do número de participantes. Considerando que essa amostragem mantém as mesmas características do universo estatístico, ela reproduz o pensamento dos eleitores no país, lembrando que sempre há uma margem de erro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.