Em ação de busca e apreensão, MP encontra dinheiro, joias e documentos falsos de casal denunciado por lavagem de capitais

No ano passado, ambos foram presos em flagrante em Goiatuba com o porte de R$56.870 mil reais e €23,5 mil euros em espécie

Objetos apreendidos em busca. | Foto: Assessoria do Ministério Público de Goiás

Foi realizada, na manhã desta terça-feira, 16, a Operação Sem Fronteiras, pelos Ministérios Públicos de Goiás (MP-GO), e do Paraná (MP-PR). A ação foi feita por intermédio da 2ª Promotoria de Justiça de Goiatuba e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Foz do Iguaçu. O intuito foi cumprir mandado de prisão contra Milton Gomes e Bianca Cruz Martinez e a ordem de busca e apreensão de novos elementos que comprovem os delitos cometidos pelo casal. A ação culminou com apreensão de dinheiro, joias e documentos falsos.

Durante o cumprimento dos mandados de prisão e de busca e apreensão, foram apreendidos dinheiro, joias e documentos falsos. Entre os objetos apreendidos estão dois veículos, sendo um Mustang e uma SW4, dólares em espécie, reais em espécie, joias em ouro, documentos de penhor de joias, documentos falsos e cartões de crédito com nomes falsos.

O mandado de prisão foi expedido pela 2ª Vara da comarca de Goiatuba. Atualmente, é cumprido pelo casal em Foz do Iguaçu. Após a prisão em flagrante, a justiça os havia concedido medida cautelar alternativa à prisão. Assim, seriam monitorados por tornozeleira eletrônica. Com a detecção do descumprimento das regras do sistema de monitoramento, em 23 de outubro de 2020, tiveram o benefício revogado e a prisão decretada. A prisão em flagrante do casal foi convertida em preventiva em Goiatuba.

Milton e Bianca foram presos na primeira semana de maio do ano passado por ocultação da origem de propriedade de um veículo Toyota Hilux SW4. Dentro dele havia R$56.870 mil reais e €23,5 mil euros em espécie. Também foram apreendidos dois cheques no valor nominal de R$250 mil reais cada um e dois cartões de crédito no nome falso de Mateus Queiroz.

Ao ser abordado, Milton Gomes apresentou Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em nome de Mateus Queiroz, enquanto Bianca Cruz Martinez utilizava uma Carteira de Identidade, emitida no Estado do Pará, em nome de Bianca Martinez. Depois da prisão, foi detectado que Milton Gomes já possuía mandado de prisão expedido pela Justiça Estadual de São Paulo, na comarca de Urânia, pelos crimes de estelionato e extorsão. A operação conta com o apoio dos Gaecos do MP-GO, do MP-PR e do Centro Integrado de Operações de Fronteira (Ciof), do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.