Em 2021, gasolina fecha com alta de 46,7%

Dados do IPTL também identificaram que nos dias 24, 25 e 26 de dezembro de 2021, feriado do Natal, os brasileiros pagaram 45,53% mais caro pela gasolina, se comparado ao mesmo período do ano passado

O ano de 2021 terminou com a gasolina e o etanol custando mais caro nos bolsos dos brasileiros, se comparado ao mesmo período de 2020. Foi o que apontou o último levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL) ao registrar que no mês de dezembro a gasolina custava em média R$ 6,890 nos postos de abastecimento, alta de 46,7% em relação a dezembro do ano passado com R$ 4,696.

No comparativo com novembro, o combustível ficou 0,52% mais barato em dezembro, passando de R$ 6,926 para R$ 6,890, mantendo quedas identificadas na primeira quinzena deste mês. Enquanto isso, o etanol, com valor médio atual de R$ 5,779, registrou acréscimo de 56,5% em relação a dezembro do ano anterior.

Assim como a gasolina, o combustível vem apresentando queda desde a primeira quinzena de dezembro e o valor, que fechou novembro a R$ 5,853, baixou para R$ 5,779, uma economia de 1,26%. Apesar de ter a maior variação de baixa no valor, de 1,54%, em relação a novembro, o Centro-Oeste permanece no ranking da região com a gasolina mais cara do país, cobrada a R$ 6,951. Já o etanol, por sua vez, teve redução de preço, de 5,346 para 6,80%.

Os dados do IPTL também identificaram que nos dias 24, 25 e 26 de dezembro deste ano, feriado do Natal, os brasileiros pagaram 45,53% mais caro pela gasolina, se comparado ao mesmo período do ano passado. O combustível, que no Natal de 2020custva em média R$ 4,710, neste ano passou para R$ 6,837.

Também houve uma diferença no valor durante os três dias – no dia 24, a média nacional estava a R$ 6,834 e no dia 26, em R$ 6,847. Já o etanol, também apresentou acréscimo expressivo em relação ao Natal anterior, de 53,68%, passando de R$ 3,696 para R$ 5,680. A variação ao longo dos três dias de feriado foi mais significativa do que a gasolina – no dia 24 o valor estava R$ 5,654 e no dia 26, em R$ 5,695.

De acordo com a ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas, o preço da gasolina deve iniciar o ano com queda na média nacional após quase um ano e seis meses de aumentos consecutivos. No primeiro trimestre, a projeção indica queda acumulada de 5,94%,c om o combustível vendido a R$ 6,18 em maro, o menor índice previsto para 2022. Em Abril, o preço volta a subir e atingirá a maior alta em setembro, batendo a casa dos R$ 6,55.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.