O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta segunda-feira, 6, durante posse de Aloizio Mercadante como presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que países com débitos com a empresa pública “pagarão suas dívidas”, porque são todos “amigos do Brasil”.

Ao fazer referência aos militantes bolsonaristas, o petista diz: “outra mentira era que o BNDES ficava emprestando dinheiro para outros países. O BNDES nunca deu dinheiro para país amigo do governo. O banco financiou serviço de engenharia de empresas brasileiras e nada menos que 15 países da América Latina, do Caribe, entre 1998 e 2017. O que é importante agora, em uma matéria publicada pelo jornal Valor. ‘De um total de R$ 10,5 bilhões financiados, o BNDES já recebeu R$ 12,8 bilhões’; assim, todos os contratos em atraso foram cobertos por garantia, mas o fato é que essas operações deram lucro e geraram emprego no Brasil”.

Lula ainda comentou, que a gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) rompeu a relação com países devedores do BNDES, justamente para não cobrá-los, e, com isso, acusá-los.

O presidente declarou que, nos últimos quatro anos, período em que Bolsonaro governou, o BNDES foi “vítima de um processo de difamação muito grave”. “Eu não poderia de deixar de vir aqui lembrar a vocês que esse banco foi vítima de difamação muito grave durante o último processo eleitoral. Nós vivemos um momento, no Brasil, em que as narrativas, mesmo que mentirosas, valem mais que muitas verdades ditas muitas vezes”, afirmou Lula.