Eleições podem devolver à Câmara vereadores que não conseguiram a reeleição em 2020

Nove ex-vereadores estão na lista de suplentes a terem potencial de convocação, pela quantidade de votos, caso atuais parlamentares sejam eleitos a outros cargos em 2022

Para entender qual será o novo perfil da Câmara Municipal de Goiânia, a partir da candidatura – e possível eleição – dos atuais parlamentares, que serão substituídos por seu suplentes, o Jornal Opção buscou no portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) quem são os suplentes diretos de cada um dos 35 parlamentares da Casa Legislativa. Com a busca, foram identificados nove ex-vereadores entre os mais votados e com maior probabilidade de assumirem o mandato com a saída dos eleitos.

Ao selecionar os suplentes, foi considerado a quantidade de parlamentares eleitos por partidos e os suplentes que substituiriam cada um dos 35 vereadores. Entre os suplentes, estão os ex-vereadores Priscilla Tejota (PSD), Denício Trindade (MDB), Tiãozinho Porto (MDB), Mizair Lemes (MDB), Gustavo Cruvinel (MDB), Carlin Café (MDB), Álvaro da Universo (Patriota), Paulo Magalhães (DEM) e Oseias Varão (PP). Além desses, também estão como suplentes pessoas que já foram suplentes em anos anteriores e chegaram a substituir parlamentares eleitos por certo período de tempo.

Entre os que já eram suplentes, estão o Markim Goya (Patriota), que substituiu o vereador Juarez Lopes (PDT) em 2018, Nilton Barriga (Republicanos) e Sargento Mario Augusto (Republicanos) – que juntamente com outro suplente, substituíram Jair Diamantino, Kleybe Morais (MDB) e Anderson Sales Bokão (DEM) em 2017. Apesar de atualmente só ter um vereador do Democratas na Câmara, o que demandaria apenas a necessidade de um suplente do partido com a saída de Bokão, o terceiro suplente da sigla também é ex-vereador, o suplente Jair Diamantino (DEM).

Atualmente, na Câmara Municipal, apenas um suplente permanece em atuação, que é Rafael da Saúde (DC). Ele tomou posse em março deste ano, no lugar do titular Wellington Bessa (DC), que foi nomeado secretário municipal de Educação. No entanto, outros suplentes já substituíram vereadores eleitos durante certo período de tempo ainda neste ano de 2021. Entre eles, Jaiminho, que ficou no lugar de Geverson Abel (Avante), Sebastião Peixoto (DEM), que substituiu o suplente Paulo Magalhães (DEM), e ocupou a vaga de Anderson Sales Bokão – que se licenciou para fazer uma cirurgia no joelho.

Célio Silva (PTC) também foi um dos que assumiu o mandato do titular por um certo tempo em 2021, ao substituir Paulo Henrique da Farmácia, que foi afastado temporariamente a pedido do prefeito Rogério Cruz (Republicanos) para ocupar a Secretaria de Desenvolvimento e Economia Criativa. Com exceção de Bessa – em que o cargo permanece sendo exercido por Rafael da Saúde – todos os demais titulares que se ausentaram este ano já retomaram seus postos.

Simulação de cenário

Apesar de quatro dos seis primeiros serem ex-vereadores de Goiânia, dois suplentes tem maior probabilidade de entrar em cena: os mais votados Denício Trindade e Tiãozinho Porto. Isso, porque apenas dois parlamentares acenam para o pleito de 2022: Henrique Alves (MDB) e Kleybe Morais (MDB). Ambos devem ser lançados para à Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego) pelo MDB. Caso seus titulares Sargento Novandir e Leandro Sena sejam eleitos a deputados estadual e federal, respectivamente, dois suplentes do Republicanos devem ser convocados: Marcos Vinicius e Nilton Barriga.

Quem também pretende disputar uma vaga na Câmara dos Deputados é o próprio presidente da Câmara de Goiânia, Romário Policarpo (Patriota). Caso seja eleito, o primeiro convocado será Markim Goya, que já substituiu Juarez Lopes em 2018. O segundo suplente, que seria convocado caso o presidente da Comissão Mista, Cabo Senna (Patriota) decidisse se candidatar, seria o ex-vereador Álvaro da Universo (Patriota). Caso Anderson Sales Bokão realmente dispute a eleição para deputado estadual no próximo ano e seja eleito, quem será convocado será o ex-vereador Paulo Magalhães (DEM).

Ainda que o único vereador do PP na Câmara de Goiânia, Sandes Jr., tenha intenção de sair do partido para disputar uma cadeira de deputado federal – tendo negociado com o Patriota, Republicanos e Avante – o primeiro suplente a ser convocado será o ex-vereador de Goiânia, Oseias Varão (PP). Tanto Sabrina Garcêz (PSD), quanto Luciula do Recanto (PSD) também possuem intenção de serem candidatas em 2022, sendo a primeira para deputada federal e a segunda para estadual. Caso ambas sejam eleitas, quem as substitui são a ex-vereadora Priscilla Tejota (PSD) e o inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF) Newton Morais (PSD).

Com uma possível candidatura de Santana Gomes (PRTB), que pode sair a deputado estadual – cargo que já foi eleito anteriormente -, quem será convocado é o Delegado Álvaro Cássio (PRTB). O segundo suplente da sigla é o Wilson Sodré (PRTB), no entanto, o vereador Bruno Diniz (PRTB) afirma não ter intenção de disputar as eleições deste ano. Outro vereador que pode tentar uma vaga na Alego é o Pastor Wilson (PMB), caso a tentativa ocorra e seja bem sucedida, quem deve assumir o cargo é o suplente Danilo Arraes (PMB), que é engenheiro.

Willian Veloso é outro parlamentar que busca uma vaga na Alego. Caso seja eleito, o primeiro suplente por quantidade de votos é o técnico de enfermagem Max Nascimento. Outro parlamentar que também não descartou a candidatura é o petista Mauro Rubem (PT) que afirma que seguirá as orientações do partido. Caso este se candidate à esfera estadual ou federal e seja eleito, a primeira suplente é a presidente estadual da sigla, Kátia Maria.

Ronilson Reis (Podemos) também tem intenção de se tornar deputado estadual nas eleições de 2022, no entanto, a possibilidade de que o parlamentar deixe o Podemos existe – ainda que não tenha confirmado qual sigla pretende ir, caso se concretize. Se Ronilson for eleito este ano, quem será convocado é o secretário executivo do Procon Goiânia, Welton Lemos (PODE). Pedro Azulão Jr. (PSB) também visa disputar uma cadeira da Alego. Caso seja vitorioso, o primeiro suplente a ser convocado para substituí-lo na Câmara Municipal é o Geovani (PSB). Tanto Aava Santiago (PSDB), quanto Gabriela Rodart (DC) não confirmam se pretendem se candidatar em 2022, mas ambas são cotadas tanto à esfera estadual, quanto federal.

Caso sejam ambas sejam realmente candidatas e eleitas, os suplentes com maior quantidade de votos do PSDB e do Democracia Cristã, respectivamente, são o William Do Armazem Silva (PSDB) e o vendedor Marcio do Carmo (DC). Rafael da Saúde, suplente que atualmente atua na Casa Legislativa, não tem intenções de pleitear cargos nas eleições deste ano. Leo José (PTB), Leia Klebia (PSC), Marlon Teixeira (Cidadania) e Joãozinho Guimarães descartam a possibilidade de se lançarem candidatos em 2022. Já Anselmo Pereira (MDB), Clécio Alves (MDB), Paulo Henrique da Farmácia (PTC) e Juarez Lopes (PDT) não deram qualquer tipo de confirmação ao Jornal Opção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.