Eleição de deputados da comissão de impeachment deve ser secreta

Segundo informações da assessoria da Câmara, mesa diretora irá conduzir a votação eletronicamente em cabines montadas no Plenário

Henrique Fontana: "é uma vergonha ressuscitar o voto secreto" |  Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

Henrique Fontana: “é uma vergonha ressuscitar o voto secreto” | Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

Os 65 integrantes da comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT), serão eleitos hoje, em pleito que, provavelmente será secreta. Segundo a assessoria da Casa, a Secretaria-Geral da Mesa definiu que a votação será eletrônica, feita a partir de cabines montadas no plenário.

O deputado Henrique Fontana (PT-RS) se manifestou contrário a decisão. “É uma vergonha ressuscitar o voto secreto. Quando milhões de brasileiros elegem um parlamento, eles querem saber como o Parlamento vai votar”, criticou.

Segundo ele, seu partido deve articular pela votação aberta, mas não confirmou. A opção pelo voto secreto ainda não foi confirmada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.