Enquanto um grupo reúne o atual presidente, ex-presidentes e veteranos da Casa, outro formado por veteranos e novatos pode adotar certo tom de oposição

Foto: Lívia Barbosa | Jornal Opção

A busca por apoio para a eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Goiânia está — como sempre — acirrada. Dois grandes grupos se formaram e trabalham dia e noite em busca de mais nomes a fim de garantir maioria na disputa. Até o momento, a balança parece equilibrada e o apoio de vereadores de partidos com pouca representação na Casa pode ser decisivo na disputa.

De um lado, veteranos como Anselmo Pereira, Clécio Alves, Dr. Gian e Policarpo reúnem a bancada do MDB e remanescentes do grupo que elegeu o atual presidente. O grupo já conta com 21 vereadores, ente eles Clécio Alves (MDB), Dr Gian (MDB), Anselmo Pereira (MDB), Romário Policarpo (Patriota), Henrique Alves (MDB), Kleybe Morais (MDB) e Izidio Alves (MDB).

De outro, Lucas Kitão (PSL), Sabrina Garcêz (PSD) e Léia Klebia (PSC) reúnem um grupo misto (novatos e veteranos) que, segundo informações de bastidores, já teria fidelizado cerca de 15 nomes. Entres os participantes foram citados: Anderson Bokão (DEM), Leandro Sena (Republicanos), Sargento Novandir (Republicanos), Sabrina Garcez, Lucas Kitão, Léia Klebia, Bessa (DC), Paulo Henrique da Farmácia (PTC), Marlon (Cidadania), Thialu Guiotti (Avante) e Leo José (PTB).

Enquanto o grupo de Policarpo já trabalha com nomes para a presidência — Clécio, Anselmo e Policarpo são os mais cotados —, mas busca resguardar a composição do grupo, a turma de Sabrina teria se comprometido a não discutir a presidência agora. A ideia é fortalecer um projeto que alia renovação e experiência, disse um participante à reportagem. A composição sugere um possível tom de oposição à administração.

No entanto, é possível que Sabrina, Leandro Sena, Léia ou Paulo Henrique coloquem o nome à disposição para disputar a presidência no momento oportuno. O que deve começar a ser definido após a diplomação, no dia 18 de dezembro. Até lá, os postulantes devem evitar expor a candidatura até para não sofrerem um desgaste antes da eleição.