Fenômeno acontece duas semanas após um eclipse solar parcial

Um eclipse lunar total, conhecido popularmente como “Lua de Sangue”, irá ocorrer na de noite deste domingo, 15, para segunda-feira, 16. O fenômeno acontece duas semanas após um eclipse solar parcial e poderá ser visto em todo o Brasil.

O fenômeno astronômico irá aparecer no céu por volta das 22h30, no horário de Brasília, na noite de domingo, 15. Sua fase total ocorre na madrugada de segunda-feira, 16, às 1h11 da madrugada. Previsão do fenômeno perdurar até às 4 horas da manhã.

Em entrevista ao R7, Rodolfo Langhi, coordenador do Observatório de Astronomia da Universidade Estadual Paulista (Unesp), afirma que um eclipse lunar ocorre quando a Lua entra na sombra da Terra e deixa de receber parte da luz do Sol. Assim, para que haja um eclipse lunar total, é necessário que a Lua inteira mergulhe na sombra da Terra.

“Lua de Sangue”

O satélite natural da Terra não ficará totalmente escuro durante o eclipse deste fim de semana. Langhi conta que quando a luz do Sol bate na Terra, a maior parte da luz é bloqueada, por isso que uma sombra atrás do planeta é formada. Porém, a atmosfera, que é uma camada fina de gases na superfície do planeta, permite a passagem de parte da luz.

Como ver o eclipse?

Mesmo com o envolvimento da luz do Sol, para observar o fenômeno nenhuma precaução é necessária, diferente de um eclipse solar, no qual é preciso colocar uma proteção especial para os olhos. “Se tiver binóculo, pode apontar o binóculo. Se tiver telescópio também pode apontar o telescópio, não precisa de filtro e é muito lindo este fenômeno. A gente só precisa de um céu sem nuvens”, diz Rodolfo Langhi.

O especialista orienta que o melhor lugar para observar o fenômeno será na América do Sul, e na América Central, não importando se é uma área urbana ou rural. Parte da África e da América do Norte também conseguirão ver. “Nós vamos ver o eclipse completo, desde a hora que a Lua começa a entrar na sombra que é às 23h27 de domingo, 15, e ela só vai sair completamente às 2h55 da segunda-feira (16). O máximo, o ápice, vai ser às 1h11 do dia 16”.

*Com informações do R7