“É problema do Governo do Distrito Federal”, diz ministro do Esporte sobre Universíade

Multa de R$ 20 mi e suspensão do Brasil de jogos internacionais são possíveis punições para a decisão do governador Rodrigo Rollemberg de não sediar o evento

Em Goiânia para um evento sobre as Olimpíadas de 2016, o ministro do Esporte, George Hilton, afirmou, em entrevista ao Jornal Opção Online, que as consequências da decisão do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), de não sediar os Jogos Universitários Mundiais (Universíade) de 2019 são “problema” do Governo do Distrito Federal (GDF).

“Nós tentamos [achar outra sede], fizemos uma incursão em várias capitais com alguns prefeitos e governadores, mas hoje a gente entende que isso é um problema do Governo do Distrito Federal com a Federação Internacional do Esporte Universitário (Fisu)”, disse o ministro.

O imbróglio da Universíade foi revelado em reportagem exclusiva do Jornal Opção, quando a secretária de Educação, Cultura e Lazer de Goiás, Raquel Teixeira, relevou, ainda em junho, o interesse em trazer os jogos para o Estado. Com a decisão de Rollemberg de não sediar o evento, o Brasil fica sob a ameaça de duas punições pesadas: uma multa de R$ 20 milhões e a suspensão do país de jogos internacionais durante dois anos.

Embora o Ministério do Esporte tenha garantido ao Jornal Opção que as punições seriam de responsabilidade do GDF, George Hilton se mostrou surpreso quando questionado sobre as possíveis penalidades e disse apenas que elas devem cair sobre o desporto universitário, pois o Ministério não teria responsabilidade jurídica sobre o evento

Seguro, o ministro declarou que esses problemas não afetam a imagem do país: “A gente está cada dia mais revelando capacidade de fazer grandes eventos. Fizemos a Copa das Confederações, a Copa do Mundo e vamos fazer jogos monumentais”.

Deixe um comentário