“É preciso frisar que o fechamento é para o bem comum e todos precisam contribuir”, diz PM

“Desde a madrugada estamos nas ruas orientando os comércios que ainda estão abertos a fecharem as portas, com todo o cuidado e respeito”, informa a assessoria da Polícia Militar

Foto: Fernando Leite

A Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) está nas ruas nesta quinta-feira, 19, em todo Estado, em parceria com outros órgãos como guardas municipais e Corpo de Bombeiros, para orientar os comerciantes sobre a necessidade de cumprimento do decreto que estabelece o fechamento de vários segmentos por 15 dias.

“Existe um decreto do governador estabelecendo o fechamento de grande parte do comércio por 15 dias. E nosso trabalho juntamente com órgãos de fiscalização é fazer com que o  decreto seja obedecido. Desde a madrugada estamos nas ruas orientando os comércios que ainda estão abertos a fecharem as portas, com todo o cuidado e respeito”, informa a assessoria da PM.

Quem insistir na prática está sujeito a vários mecanismos legais como a lavratura de um termo circunstanciado (TCO), enquadramento por desobediência e outros mecanismos. O descumprimento será analisado e se necessário serão aplicadas penalidades. No entanto, a PM acredita que o diálogo e orientação são a solução para este primeiro momento. “Vamos lá e conversamos, caso os comerciantes insistam em manter as portas fechadas teremos que fazer valer a lei”, explica.

Fiscalização acentuada

Na prática, até momento nenhum fato grave de descumprimento foi registrado em todo o Estado. “Encontramos sim alguns estabelecimentos abertos, mas estamos orientando  e algumas operações serão realizadas. O policiamento será contínuo”. informa a PMGO que prepara uma operação ainda nesta tarde, em Aparecida.

“É um fato novo para a PM, para o comércio e para toda a sociedade. A PM está agindo com respeito pois não estamos lidando com marginais. Mas é preciso frisar que o fechamento é para o bem de todo e todos precisam contribuir”, pondera o Coronel Cardoso.

Caso o comerciante tenha dúvidas sobre o agente público que está adentrando no estabelecimento, a PM orienta ligar para o 190 e checar. “Se for preciso faremos o deslocamento imediato de uma viatura ao local para averiguação”, detalha o assessor da PM, ao explicar que não foram registradas ocorrências neste sentido em Goiás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.