“É impossível dizer quem vai ganhar a votação do impeachment no plenário”, afirma Magda Mofatto

Deputada federal goiana que já disse ser favorável ao processo de impeachment da presidente Dilma, a parlamentar do PR disse que há muitos indecisos na Câmara

Deputada federal Magda Mofatto (PR) disse que ainda não é possível saber se os votos favoráveis à abertura do processo de impeachment estão abaixo ou acima do mínimo necessário | Foto: Thyago Marcel/Câmara dos Deputados

Deputada federal Magda Mofatto (PR) disse que ainda não é possível saber se os votos favoráveis à abertura do processo de impeachment estão abaixo ou acima do mínimo necessário | Foto: Thyago Marcel/Câmara dos Deputados

O cenário de aprovação ou rejeição do pedido de abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT) no plenário da Câmara dos Deputados, em duas votações, ainda é incerto. Isso segunda a deputada federal goiana Magda Mofatto (PR), que disse neste domingo ao Jornal Opção que a contagem dos votos ainda é muito complicada pela “grande quantidade” de parlamentares indecisos.

Magda faz parte dos 14 entre os 17 deputados federais goianos que declararam votar a favor da abertura do processo de impeachment contra Dilma. Para que a Câmara envie o caso ao Senado, primeiro é preciso que o relatório do deputado federal Jovair Arantes (PTB-GO) seja aprovado na Comissão Especial do Impeachment e, depois, duas vezes pelo plenário, aí com mínimo de 342 votos favoráveis (dois terços dos parlamentares).

A questão ainda é tão complicada de ser analisada, na visão da deputada, que o partido dela tem parlamentares nas três posições. “O PR está bem dividido, tem de todas as opiniões. Tem indecisos, deputados que são favoráveis e tem também quem vai votar contra o impeachment na Câmara.”

“Eu não consigo chegar a um número hoje que diga que vai ser acima ou abaixo dos 342 votos o número de deputados que votará a favor da abertura do impeachment”, reforçou Magda como está a Câmara sobre o assunto.

A deputada afirmou que, no PR, ela e Waldir Soares, o Delegado Waldir, são dois parlamentares que têm usado a palavra para se manifestar pelo impedimento da presidente Dilma, mas que o “outro lado”, dos que defendem a manutenção da petista no cargo, também tem utilizado o tempo de fala no plenário para mostrar argumentos contra o processo de impeachment na tentativa de convencer os indecisos.

Eleições municipais

Em Goiânia, a ida do Delegado Waldir para o PR teve a intenção de fortalecer o partido, afirmou Magda. A parlamentar disse que, além da pré-candidatura a prefeito do deputado Waldir, o Partido da República em Goiânia, que não havia elegido nenhum vereador nas eleições de 2012, se fortaleceu com a janela de troca partidária.

Hoje o PR tem na Câmara Municipal cinco vereadores que foram para a legenda na janela: Felizberto Tavares, Izídio Alves, Jorge do Hugo, Mizair Lemes Jr. e Paulo Borges. Com isso, o partido tem a maior bancada do Legislativo em Goiânia, ao lado do PSDB.

De acordo com Magda, o Delegado Waldir tem se posicionado bem nas pesquisas e teria, neste momento, que para ela ainda é muito cedo, um forte adversário que é o ex-prefeito Iris Rezende (PMDB). Mas como a pré-candidatura de Iris ainda é dúvida, a deputada afirmou que o cenário mostra a possibilidade de empate entre Waldir e Iris nos levantamentos de intenção de votos.

A situação pré-eleitoral de Caldas Novas, onde a empresária natural de Limeira (SP) se elegeu pela primeira vez como vereadora em 1992, Magda Mofatto afirmou que o PR lançou a pré-candidatura do vereador Rodrigo Lima. Lá, o prefeito Evandro Magal (PP) ainda não definiu se vai disputar a reeleição, considerou a deputada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.