Durante isolamento social, infrações por excesso de velocidade chegaram a 79% das ocorrências de trânsito

Motoristas sentiram mais liberdade para cometer infrações de trânsito durante período de quarentena, no entanto, SMT não deixou de trabalhar neste período

Motoristas aproveitaram ruas vazias de Goiânia para cometerem infrações | Foto: Reprodução

Durante o período de isolamento social, a Secretaria de Mobilidade, Transporte e Trânsito de Goiânia (SMT) constatou um aumento em 79% nos autos por excesso de velocidade na capital. A infração se tornou a mais comum nas ruas e avenidas, conforme houve redução no trânsito. O Fernando Santana, secretário de Mobilidade, Transporte e Trânsito, supõe que muitos motoristas pensaram que, com a quarentena, os serviços de fiscalização também estivessem suspensos.

“A SMT é parte do sistema de segurança da cidade. Eu imagino que muita gente, a partir do momento do decreto, pensou que não estaríamos trabalhando. Nós continuamos trabalhando, fazemos parte do sistema de segurança da cidade. A cidade precisa ser mantida em ordem”, informou o titular da pasta. “Nós continuamos monitorando a cidade para garantir essa segurança ideal para que todos que ainda tivessem necessidade de estar circulando pelas ruas, que circulassem com segurança”, disse.

Redução de veículos

Fernando explica também que um dos trabalhos realizados rotineiramente pela SMT é a contagem dos veículos nas ruas de Goiânia. “A gente determina alguns pontos, algumas ruas, giramos cidade afora onde nós temos equipamento e aí fazemos esse acompanhamento”, conta. De acordo com ele, a secretaria realizou uma comparação dos dias 8 de março a 22 de março, quando houve uma redução de 60% nos veículos nas ruas da capital. “O decreto foi instituído no dia 17. Uma semana depois fizemos novamente a contagem e houve essa redução comprovada de 60%”, informou.

No entanto, no dia 4 de abril, a SMT realizou novamente a contagem e constatou uma redução no tráfego de veículos em torno de 30 a 35%, variando dos pontos contados. Já no dia 22 de abril, quando refeita a contagem, a pasta pôde perceber uma redução de apenas 17,5%. Fernando conta que atualmente, a redução do trânsito está em torno de 14%. “Vem realmente diminuindo a diferença. Está aumentando os carros, está quase voltando à normalidade”, observa.

“Óbvio que houve também uma mudança depois desse um mês de decreto, algumas coisas foram liberadas, mas todos devem continuar com os cuidados: não fazer aglomerações, se manter mais isolado, usar máscaras, álcool gel”, pontuou. “Todos devem permanecer atentos aos cuidados instituídos para que possamos vencer esse período.”

No entanto, a maior preocupação não foi com o afrouxamento do isolamento. “O que foi muito preocupante é que, com a redução dos veículos na rua nesse primeiro mês em média 50%, o número de autos foi reduzido apenas em 30% mais ou menos. Proporcionalmente as infrações aumentaram. O que aumentou foi a do excesso de velocidade. Em dias normais é configurado em torno de 60% do número de autos que se constata durante o mês, nesse período ele atingiu 79% dos autos. Isso é muito preocupante”, alerta Fernando.

“As pessoas, ao notarem as ruas mais vazias, começaram a praticar infrações, entre elas avanço no sinal vermelho, conversões proibidas, tráfego em contramão em avenidas. Tudo isso são ações que levam a grande perigo iminente de acidentes, que é o inverso do que precisamos hoje. Precisamos de cuidar, ter uma atenção muito maior com a vida. Todo esse trabalho que está sendo feito é exatamente para preservar a vida”, advertiu.

“O acidente pode chegar a ter óbitos ou chegar a utilização de hospital. Temos de deixar as vagas preferencialmente para as pessoas que estiverem com coronavírus. São ações que a sociedade comete, obviamente uma pequena parcela da sociedade, mas que pode trazer grandes e graves consequências”, afirmou o secretário.

Ele ressalta que é desnecessário ter pressa quando a rua está vazia, pois o motorista terá ganho de tempo ao poder trafegar na velocidade da pista e sem carros na frente. “O poder público está muito empenhado nessa luta contra o coronavírus, mas a sociedade tem que participar, tem que se integrar nesse projeto, para que todos nós passemos desse período e vençamos essa batalha em defesa da vida”, destacou.

Punições

Ele esclareceu que apesar do aumento dos autos por excesso de velocidade, não foi constatado um aumento nos acidentes. “Não tivemos muitos acidentes, mas tivemos alguns com óbitos, graves e com pessoas muito machucadas. O número de acidentes felizmente não cresceu”, disse.

Mesmo assim, o motorista que não cumprir as regras de limite de velocidade das pistas será punido, caso flagrado cometendo a infração. “A velocidade tem três classificações. Quando constatada velocidade até 20% acima do permitido na via, é média. A punição é de quatro pontos na carteira e multa de R$130 reais. A de 20 a 50% acima da velocidade é considerada grave. O motorista perde cinco pontos da carteira e leva multa de R$195. Acima de 50% da velocidade, dependendo da velocidade, é considerada gravíssima. O motorista perde sete pontos na carteira e a multa vai de R$293 até R$880”, informou Fernando.

Para excesso de velocidade, apesar de doer no bolso, não leva a punição mais pesada, como detenção. “A prisão do motorista pode depender se ele estiver alcoolizado, sem documento ou alguma situação que não tenha condições de estar conduzindo o veículo. Por excesso de velocidade, o motorista pode perder a carteira, dependendo do grau”, avisa. De acordo com o secretário, as principais avenidas na mira da SMT são a T-63 e avenida 85, onde os fluxos são muito altos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.