Durante convenção do PSDB, Marconi defende medidas de inclusão social combate à pobreza

Governador de Goiás foi eleito primeiro vice-presidente nacional do partido. Geraldo Alckmin foi eleito presidente da sigla

Governador de Goiás, Marconi Perillo, foi eleito 1º vice-presidente do PSDB | Foto: Divulgação

O governador Marconi Perillo (PSDB) afirmou neste sábado (9/12), na convenção nacional do PSDB que elegeu a direção do partido para o biênio 2018-2019, que o Brasil precisa fazer as reformas necessários para que o País volte a crescer de forma consistente, gerando emprego e renda. “O Brasil precisa de uma agenda de reformas que restabeleça o desenvolvimento econômico de longo prazo e garanta efetiva qualidade de vida para a população”, disse Marconi, eleito primeiro vice-presidente nacional do PSDB.

Marconi defendeu que o partido apresente uma agenda de projetos para o Brasil, apontando claramente os problemas e as soluções. “Hoje o Brasil tem 28 milhões de brasileiros que vivem com R$ 3 reais por dia”, disse o governador, citando números que apontam o País como uma das nações que estão deixando a desejar em termos de crescimento econômico e solução de demandas sócias: “Estamos de 88º lugar em educação, somos o 6º país mais violento do mundo, 3º em congestionamento de trânsito, 18º e desenvolvimento humano, 44º lugar em qualidade”, citou.

Marconi defendeu que o Brasil deixe para atrás esses número negativos para se transformar num “pais de qualidade de vida”. Na avaliação dele, o mais importante é o combate à pobreza e a inclusão social, apostando na educação, na ciência, tecnologia e inovação, fundamentais para agregar valor ao trabalho.

O governador Marconi Perillo foi aclamado 1º vice-presidente nacional do PSDB, durante convenção nacional do partido, em Brasília, que confirmou o governador Geraldo Alckmin como presidente do diretório nacional, numa chapa consensual.

Na fala aos convencionais, Alckmin saudou Marconi como “esteio” do PSDB, cumprimentando-o pela disposição, juntamente com o senador Tasso Jereissati (CE) de abrir mão da candidatura à presidência da legenda, em nome da unidade interna.

Ao saudar os convencionais, Marconi agradeceu os apoios que recebeu na campanha para presidente do partido e cumprimentou o senador Tasso Jereissati (CE) pelo elevado nível pelo qual se comportou na disputa interna. “Se eu já era seu admirador, passei a respeitá-lo ainda mais”, afirmou.

A convenção tucana foi realizada com uma novidade: o estatuto do partido foi modificado para permitir a criação de duas vice-presidências com status superior às demais. Nas regras anteriores, existiam seis vice-presidências e cada um dos escolhidos poderia assumir a presidência nacional da legenda.

Agora, existem duas na linha sucessória, com prevalência sobre as demais. Em caso de renúncia ou licença de Geraldo Alckmin, automaticamente assume o comando nacional do partido Marconi Perillo, que foi escolhido para a 1ª vice-presidência.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.