Dória volta a defender o nome de Meirelles na equipe econômica

Tucano aposta no trabalho do goiano para despontar na agenda liberal e, desde quando venceu as prévias, tem lançado o pessedista como líder econômico da pré-campanha. Meirelles também é cotado para o Senado por Goiás

Escolhido como pré-candidato a presidência da República pelo PSDB, o governador de São Paulo, João Dória, tem batido na tecla de que o pré-candidato ao Senado por Goiás e secretário de Fazenda de São Paulo, Henrique Meirelles (PSD), deve ser o coordenador do programa econômico dele. Em Nova York, onde está desde a última quarta-feira, 1º, não tem sido diferente. Lá, Dória deixou claro que também aposta no trabalho que foi feito pelo goiano no governo Michel Temer (MDB), em 2016.

Merielles está em uma situação peculiar. Ele é pré-candidato ao Senado por Goiás, mas ao mesmo tempo tem sido apontado como nome chave para a campanha do tucano e também para um eventual governo dele, como ministro. Além disso, o PSD tem postulante a presidência, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), mas o goiano está no governo Dória, em São Paulo. Apesar disso, o pessedista disse à Folha que não há problemas porque são questões diferentes e garantiu que ele tem autonomia para atuar em Goiás.

O pessedista acompanha o tucano na viagem aos Estados Unidos para a inauguração de um escritório de promoção comercial do governo paulista. Na viagem, Dória tem apostado em Meirelles para se despontar na agenda liberal. No exterior o goiano inclusive adotou um tom mais forte contra o Governo Federal. Ele diz que a situação é muito parecida com a de 2016, quando ele assumiu o Ministério da Fazenda. Na época ele entregou uma reforma administrativa, com investimentos até o final de 2022 e defendeu o teto de gastos. “O teto de gastos ser respeitado”, afirmou, alfinetando o governo de Jair Bolsonaro (PL).

De acordo com a Folha de São Paulo, Dória e Meirelles já estiveram com o ex-prefeito Michael Bloomberg, com a direção do Bank of America, o banco Goldman Sachs e no Morgan Stanley. Eles também já estiveram no JP Morgan e, na sexta, com investidores, com o Council of the Americas, com o Itaú e com o maior gestor de fundos do mundo, o Blackrock. Esta foi a primeira viagem internacional de Dória depois de ser confirmado candidato a presidente em 2022 nas prévias do PSDB.

Procurado, o presidente Regional do partido, Vilmar Rocha, preferiu não comentar a situação. (Com informações da Folha de São Paulo)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.