Donos da JBS cogitam fazer acordo de delação premiada, diz jornal

Nos últimos meses a J&F, dona da processadora de proteína animal, foi alvo de sucessivas operações da Polícia Federal

A J&F e seus empresários cogitam abrir negociação de acordo de delação e leniência com o Ministério Público, diz publicação do jornal Folha de S. Paulo deste sábado (13/5). De acordo com o veículo de imprensa, as conversas ainda estão em estágio preliminar, mas ao menos dois encontros já foram realizados entre representantes da empresa e investigadores.

A grande preocupação é com o desgaste da imagem da J&F, dona da empresa JBS, uma das maiores processadoras de proteína animal do mundo, após ser alvo de sucessivas operações da Polícia Federal nos últimos meses.

Conduções coercitivas, afastamento de executivos e bloqueio de bens podem afetar, por exemplo, liberação de recursos de bancos públicos e privados.

Na última sexta-feira (12), os irmãos Joesley e Wesley Batista foram alvo da Operação Bullish por suspeita de fraude em empréstimo junto ao BNDES que teria causado prejuízos da ordem de R$ 1,2 bilhão aos cofres públicos.

Outras investigações envolvendo a JBS e seus executivos são as Operações Greenfield, a Sépsis e a Cui Bono, na Procuradoria do Distrito Federal, que apuram prejuízos em fundos de pensão.

Segundo apurou a reportagem, a empresa teria entrado em contato com o advogado e ex-procurador da República Luciano Feldens, responsável pela negociação da colaboração de Marcelo Odebrecht na Lava Jato.

A informação não foi confirmada pela J&F e nem pelo advogado, que não quiseram comentar o assunto.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.