Documentário feito por alunos da PUC explora relevância do rock goiano no país

Jornalistas entrevistaram artistas e produtores culturais para explicar sucesso do cenário roqueiro em um Estado tradicionalmente associado ao sertanejo

Com a proposta de apresentar um panorama do rock goiano e tentar explicar o porquê de as bandas do Estado de Goiás, tradicionalmente associado ao sertanejo, fazerem tanto sucesso pelo Brasil, os jornalistas Fernanda Meireles e Felipe Café resolveram transformar seu Trabalho de Conclusão de Curso na Pontifícia Universidade Católica (PUC) em uma exploração na cena roqueira na capital.

O resultado foi o documentário Goiânia Rock, que, em 20 minutos, entrevista figuras importantes da cultura goiana, que contribuíram para criar a fama que se vê hoje e foram pioneiros de festivais tradicionais da capital, como o Goiânia Noise e o Bananada. Para falar sobre a história e a relevância da música daqui, os dois chamaram personalidades como os produtores e artistas Carlos Brandão, Fabrício Nobre, Leo Bigode e João Lucas Ribeiro.

Além de entrevistar as pessoas responsáveis pela organização dos festivais e pela produção de artistas, os jornalistas também ouviram representantes de bandas importantes do Estado, como Dinho, vocalista do Boogarins, e jornalistas, como Pablo Kossa, para que cada um desse sua contribuição e apresentasse sua visão da música na cidade.

O objetivo agora, conta Fernanda, é levar o material para fora da academia: “O filme é pioneiro em investigar a real relevância desta cena musical”. “Esta não é uma história completa do rock goiano, é apenas um recorte, uma vírgula em toda a narrativa que a cena de rock goiana construiu e ainda pretende construir”, complementa.

Assista o documentário aqui:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.