Distorções em dados apresentados pelas empresas devem ser esclarecidas com a Secretaria da Economia

Relator da CPI dos Incentivos Fiscais, Humberto Aidar (MDB) também comentou ausência do presidente da Caoa em oitiva e destaca que empresário será convocado novamente 

Foto: Fábio Costa/Jornal Opção

O deputado Humberto Aidar (MDB), que é o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Incentivos Fiscais na Assembleia Legislativa, destacou na tarde desta segunda-feira, 4, após oitiva com o presidente da Mitsubishi, que tem “encontrado diversas distorções” entre os documentos oficiais da Secretaria de Economia e as informações apresentadas pelos representantes da empresas convocadas. 

“Temos percebido que as distorções existem, todas as empresas estão amparadas em lei, mas a lei também foi feita para ser modificada, revogada e isso estamos fazendo no transcurso da CPI até que possamos apresentar o relatório final”, enfatizou. 

Aidar destacou dados a respeito dos créditos concedidos para as montadoras Caoa e Mitsubishi e reforçou que Goiás tem pagado para que as empresas estejam implantadas no Estado. “Apresentei dados de quanto a empresa recolhia antes da vinda da Caoa – cerca de R$ 100 milhões por ano -, hoje, recolhe de ICMS em torno de R$ 100 mil. Ou seja, o que está claro quando a gente fala de montadora: existiu uma Mitsubishi antes e outra após Caoa.”

O parlamentar ainda reforçou: “As informações prestadas pela Mitsubishi não têm sido diferentes dos demais. Tenho apresentado números obtidos pela Secretaria de Economia que mostram, especialmente, a baixa contribuição das empresas no que se refere ao ICMS.”

Convocação

De acordo com o deputado, devido às divergências nas informações entre os dados oficiais da Secretaria de Economia e das empresas beneficiadas pelos incentivos fiscais, uma nova oitiva com representantes da pasta deve acontecer. “Depois de ouvir todos os empresários e setores que temos interesse, estarei convocando o superintendente ou a secretária.”

“A Secretaria da Economia vai ser convidada a vir aqui para que possamos confrontar esses números. Ressalto que todos os números apresentados por mim estão calcados em documentos. Tenho dito à todas as empresas que elas estão a vontade para trazer documentação que comprove que meus números – que na verdade são de documentos da Secretaria de Economia – não estão corretos. Se as empresas não trouxeram documentos que digam o contrário, continuarei acreditando na documentação oficial”, finalizou Aidar. 

Atestado

Em relação à ausência do presidente da Caoa, Carlos Alberto Oliveira Andrade, na reunião desta tarde, o relator ressaltou que um requerimento foi aprovado para nova convocação. “O presidente da Caoa apresentou um atestado médico de um hospital de São Paulo falando que ele está com erisipela em uma das pernas e durante os próximos 10 dias ele estaria impedido de qualquer atividade. Então, se são 10 dias, nós convocamos para o dia 18 pois daqui até lá são 14 dias. Ou seja, não terá mais atestado médico.”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.