Diretor-executivo da Adial rebate secretária da Economia: “Má vontade de se estabelecer diálogo”

Cristiane Schmidt questionou métodos que levaram ao resultado da pesquisa, que aponta maioria da população favorável aos incentivos fiscais

Foto: Divulgação

Em matéria publicada pelo Jornal Opção, a secretária da Economia, Cristiane Schmidt, questionou os métodos utilizados pela Associação Pró-Desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás (Adial) em pesquisa que mostrou aprovação dos goianos quanto a incentivos fiscais. O diretor-executivo, Edwal Portilho, no entanto, rebateu.

“[Ela] se mostra no mínimo apressada ao tentar desqualificar uma pesquisa sem conhecer a fundo a metodologia e os dados apresentados, como ela mesma admitiu, pois denota uma má vontade de se estabelecer um diálogo aberto e produtivo a respeito do desenvolvimento socioeconômico de Goiás”, questionou.

Pesquisa

Portilho completa que a pesquisa foi realizada pelo instituto Fortiori. “Com o objetivo de ouvir a opinião da população sobre a economia goiana como um todo e também sobre o processo de industrialização do Estado, dentro deste espírito de colaborar com o Estado de forma efetiva e transparente”, explicou.

E acrescenta: “Se algum resultado, para a secretária, lhe pareceu óbvio, como a defesa dos goianos por mais indústrias, é porque é um desejo latente da população. É hora então de unir forças para atender esses anseios”.

Leia nota na íntegra:

A secretária de Economia, Cristiane Schmidt, se mostra no mínimo apressada ao tentar desqualificar uma pesquisa sem conhecer a fundo a metodologia e os dados apresentados, como ela mesma admitiu. Isto gera preocupação, pois denota uma má vontade de se estabelecer um diálogo aberto e produtivo a respeito do desenvolvimento socioeconômico de Goiás, que é o caminho que a Adial tem buscado de forma permanente, ao lado das demais entidades que representam o setor produtivo. A pesquisa foi realizada por um instituto sério e renomado, o Fortiori, com o objetivo de ouvir a opinião da população sobre a economia goiana como um todo e também sobre o processo de industrialização do Estado, dentro deste espírito de colaborar com o Estado de forma efetiva e transparente. Se algum resultado, para a secretária, lhe pareceu óbvio, como a defesa dos goianos por mais indústrias, é porque é um desejo latente da população. É hora então de unir forças para atender esses anseios.

Edwal Portilho, diretor-executivo da Adial Goiás

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Helvio Borges Rezende

Existe na verdade uma tentativa de ludibriar o empresariado goiano com pesquisa inócua junto a população que desconhece a verdade! Empresas fortes, estado forte!

Helvio Borges Rezende

Governo de coronéis! Velha política de perseguição !