Diretor do Sindicoletivo diz que funcionários estão sendo coagidos a não trabalharem

Carlos Alberto dos Santos relata que essa é uma paralisação atípica e não partiu do sindicato

Terminal Isidória na manhã deste sábado, vazio | Foto: Divulgação

Carlos Alberto dos Santos diretor financeiro do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo (Sindicoletivo) divulgou uma nota de esclarecimento em vídeo, neste sábado,19, informando que a paralisação em alguns setores do transporte coletivo é uma farsa, ele diz que é totalmente de autoria dos empresários. Não tem nada a ver com o sindicato dos trabalhadores e nem com a categoria. Segundo o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano e Passageiros da Região Metropolitana de Goiânia (SET), quase cinco mil trabalhadores estão parados, eles são funcionários de quatro empresas concessionarias do serviço de transporte coletivo de Goiânia e Região Metropolitana.

Segundo Carlos Alberto os empresários estão impedindo os motoristas de saírem com os carros das garagens e fazerem a captação de usuários. Eles estão marcando o ponto para que o trabalhador não perca o dia. “É uma paralisação totalmente atípica, o Sindicoletivo não faria uma paralisação sem cumprir todos os requisitos legais de avisar a população e imprensa com 72 horas de antecedência e nossas paralisações são sempre feitas na segunda-feira”, ressaltou.

Carlos Alberto ainda destacou que os trabalhadores estão sendo assediados e coagidos a paralisarem o trabalho e fazem isso por medo de perder o emprego.

Também no vídeo, o assessor juridico Naves Santana disse que é um posicionamento covarde das empresas que estão retendo os salários e 13º dos trabalhadores. O Sindicoletivo não tem relação com essa paralisação das empresas privadas do transporte coletivo da grande Goiânia.

Em entrevista na manhã deste sábado, para o Jornal Opção, o presidente do SET, Adriano Oliveira disse que a greve é espontânea, que os trabalhadores resolveram parar por conta do não pagamento integral de novembro, do 13º e que estão visualizando o também o não pagamento do mês de dezembro até o 5º dia útil de janeiro. “Vamos negociar com eles e pedir que retomem as atividades até a segunda-feira”, explicou.

Veja o vídeo do sindicato 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.