Diretor da gestão Iris admite possibilidade de nova expansão urbana em Goiânia

Responsável pela comissão que elabora novo Plano Diretor, Henrique Alves disse, porém, que os vazios urbanos são um problema na capital

Mesmo reconhecendo que os vazios urbanos são um problema a ser enfrentado na elaboração do projeto de revisão do Plano Diretor de Goiânia, o superintendente de Planejamento Urbano e coordenador-geral do grupo de revisão do Plano Diretor, Henrique Alves, admitiu a possibilidade de uma nova expansão urbana na cidade.

“Não podemos afirmar de se vai ter ou não expansão urbana. Isso só vai começar a se formular a partir do fechamento do diagnóstico. Mas temos uma situação de áreas zona rural que já estão ocupadas que tem que ser regularizada de uma forma ou de outra. Este é um exemplo de expansão urbana localizada que terá que ocorrer”, disse em entrevista.

“Qualquer expansão urbana, e eventual inclusão dessas áreas rurais na área urbana será precedido de estudo técnico para que isso ocorra”, completou.

Apesar disso, o superintendente afirma que a revisão do plano diretor terá direcionamento para a ocupação dos vazios urbanos. “A ideia é incentivar ocupação com mecanismos de facilitação para que o mercado e as pessoas construam nos vazios urbanos, para termos uma cidade mais compacta”, ponderou. “Hoje temos aproximadamente 26% da área construída de Goiânia ainda não ocupada”, disse Alves, adiantando dados do diagnóstico.

Desde a última quarta-feira (30/8), a Câmara Municipal de Goiânia sedia oficinas temáticas sobre o Plano de Desenvolvimento Integrado da Região Metropolitana de Goiânia (RMG) e a Revisão do Plano Diretor, com a presença de estudiosos e integrantes do grupo que trabalha no âmbito de Secretaria de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh) da Prefeitura de Goiânia.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.