Dilma mantem Orçamento com alto fundo para partidos políticos

Lei Orçamentária Anual já foi aprovada pela presidente e foi lançada nesta sexta-feira (15/1) no Diário Oficial

Presidente Dilma aprovou sem vetos a Lei Orçamentária para 2016 | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foi publicado no edição desta sexta-feira (15) do Diário Oficial da União o texto da Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2016. A aprovação sancionada na última quinta-feira (14/1) pela presidente Dilma Rousseff (PT) não fez vetos ao texto do Congresso Nacional, mantendo inclusive a previsão de repasse de R$ 819 milhões para o Fundo Partidário, valor acima do estipulado inicialmente pelo governo.

A justificativa para a manutenção deste valor na lei é que este será o primeiro ano eleitoral em que o financiamento privado de campanhas estará proibido. O valor, porém, é menor do que o aprovado em 2015, que foi de R$ 867,56 milhões. Os recursos do Fundo Partidário são divididos proporcionalmente entre os partidos, de acordo com o tamanho das bancadas na Câmara dos Deputados.

LOA
Aprovada pelo Congresso Nacional em dezembro do ano passado, a Lei Orçamentária Anual inclui previsão de queda de 1,9% no Produto Interno Bruto (PIB) e inflação oficial de 6,47%.

Dilma também manteve no Orçamento a estimativa de R$ 24 bilhões de receitas provenientes da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), que ainda não foi recriada.

O ponto causou polêmica durante o debate entre os parlamentares, já que a proposta de emenda à Constituição que determina o retorno do tributo ainda não foi aprovada pelo Congresso. Com a sanção integral, Dilma também manteve na lei a previsão de R$ 28,1 bilhões para o Bolsa Família em 2016. (com informações da Agência Brasil)

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

César Dsto

Mais uma dose de contribuições para os “amigos” dos partidos tentando conquistar um apoio para se manter no poder