Dilma limita em R$ 500 gastos de ministros com celular

Mudança atinge também os comandantes da Aeronáutica, Exército, Marinha, e chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas. Intenção é reduzir em 20% as despesas 

Os ministros da Fazenda, Joaquim Levy | Foto: Wilson Dias / Agência Brasil

Os ministros da Fazenda, Joaquim Levy | Foto: Wilson Dias / Agência Brasil

Luane Caldas

Em nova medida para diminuir gastos públicos em 20%, fixada nesta terça-feira (13/9), o governo federal anunciou limitação de gastos com celular em R$ 500 mensais para os 31 ministros, incluindo os comandantes da Aeronáutica, Exército, Marinha, e chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas. O decreto da presidente Dilma Rousseff (PT) restringe o uso de chamadas telefônicas e internet por meio de celulares, tablets e modens.

Caso os servidores não cumpram a medida decretada, o valor excedido deverá ser restituído aos cofres públicos, com o prazo de no máximo cinco dias úteis, a partir da data em que fatura foi recebida, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo.

A reportagem relata ainda que os servidores da comissão do Grupo Direção e Assessoramento Superiores (DAS), de nível 6, não poderão gastar com telefonia mais que R$300. Já para os ocupantes de cargos DAS de nível 5, e usuários autorizados restantes, o gasto máximo é de R$200 e R$150, respectivamente.

A meta também pretende reduzir outros gastos como locação de imóveis e veículos, compra de passagens, serviços de consultoria e terceirização de serviços. O governo quer limitar ainda as contas de energia elétrica.

Uma resposta para “Dilma limita em R$ 500 gastos de ministros com celular”

  1. Avatar Caio Maior disse:

    A notícia merece destaque pelo evidente “caradurismo” de uma presidente que simula tapar buraco com peneira. Vamos aos fatos: o que já aconteceu. (Afinal, “anúncio promessa” de político que não respeitou a Lei de Responsabilidade Fiscal não tem valor.) O governo federal fechou as contas de 2014 com gasto total de R$ 65,3 milhões com cartão corporativo. Do valor, R$ 30,3 milhões foram “gastos sigilosos”, isto é, não é permitido ao cidadão comum conferir em que foram aplicados os recursos dos cofres públicos. A Presidência da República é, historicamente, o órgão que mais efetua as despesas secretas. E não foi diferente no ano passado: foram R$ 18,3 milhões. Portanto, o que se vê agora não passa de mera demagogia: o famoso “discurso engana-trouxa”. Só que “trouxa” é um animal quase em extinção nesses tempos de internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.